O déficit da Previdência Social em julho, que foi de R$ 3,09 bilhões, foi 35,5% maior que o déficit registrado no mesmo mês do ano passado (R$ 2,28 bilhões). Segundo os dados divulgados nesta quarta-feira pela Previdência, de janeiro a julho o déficit soma R$ 24 69 bilhões, um número 13,3% superior ao déficit acumulado em igual período do ano passado (R$ 21,78 bilhões).

Segundo o ministro da Previdência, José Pimentel, houve um impacto do reajuste de 12,5% concedido ao valor do salário mínimo neste ano, o que afeta diretamente as contas da Previdência, já que quase 70% dos beneficiários recebem um salário mínimo de renda do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Outro fator que influenciou as contas previdenciárias foi o aumento do pagamento de passivos judiciais, que são ações perdidas na Justiça pelo INSS que mandam corrigir valores de benefícios. Em julho de 2009, os débitos judiciais somaram R$ 402,9 milhões. Em julho do ano passado, esses gastos foram de R$ 350 milhões. A previsão do ministério para o déficit anual da Previdência, segundo Pimentel, continua em R$ 40,7 bilhões.

print
Comentários