Aprendemos desde cedo a importância de escovar os dentes, mas não sabemos ao certo com que frequência este hábito deve ser praticado para que nossos dentes fiquem, de fato, protegidos. Se comer de três em três horas é o ideal para uma alimentação saudável, escovar os dentes em períodos regrados também é uma necessidade para a saúde bucal.
Segundo os dentistas João Felipe e José Henrique Miranda, quanto mais tempo levamos entre uma refeição e a escovação, mais suscetíveis estamos à doenças. A frequência da escovação deve ser determinada pelo número de refeições que fazemos ao dia, já o momento ideal, ao contrário do que se imagina, depende do alimento ingerido. Alimentos específicos, como frutas cítricas, cafeína e doces, deixam os dentes mais vulneráveis às cáries, manchas e até ao mau hálito, explica João Felipe. Eles agem mais intensamente na pigmentação dentária provocando até a erosão dos dentes.
De acordo com os especialistas, o número de escovações e os produtos variam de acordo com a idade e seguir o processo indicado para cada faixa etária é essencial para a saúde dos dentes.
Crianças
Até os 6 anos de idade elas devem evitar usar pastas que contêm flúor. O ideal é comprar pastas pediátricas, pois a ingestão da substância nesta fase pode causar manchas nos dentes, conhecidas como fluoroses. Os dentes das crianças são mais sensíveis, portanto, cremes dentais tradicionais podem danificá-los, explica José Henrique Miranda. A escovação não precisa ocorrer muitas vezes ao dia, mas deve ser bastante cuidadosa, pois os dentes das crianças exigem maiores cuidados, pois elas costumam ingerir muitos doces e guloseimas. O açúcar é o alimento mais prejudicial aos dentes, porque é rapidamente metabolizado e transformado em ácido, o que reduz o pH do meio oral e causa a desmineralização (perda de minerais) do esmalte dentário, diz João Felipe Miranda.
Adultos
O ideal é fazer a escovação logo após as refeições, porque cinco minutos após a ingestão do alimento inicia-se o processo de perda de minerais (a desmineralização), um processo natural até três horas depois da mastigação. Porém, esperar mais do que isso, pode comprometer a saúde bucal. O processo de formação da cárie nada mais é do que a perda de mineral dos dentes durante um longo período de tempo, afirma José Henrique Miranda.
Açúcares
Uma dica dos especialistas é evitar comer comidas ricas em açúcar várias vezes ao dia. Eles sugerem que a ingestão das guloseimas aconteça de uma única vez e, de preferência, logo após a refeição, pois o açúcar age de maneira menos prejudicial quando metabolizado com outras substâncias.
Cafeína
Os dentistas explicam que a cafeína, presente no café, chás e refrigerantes, não agride a estrutura dos dentes, mas quando ingerida com açúcar, causa os mesmos problemas que os doces e guloseimas. O aspecto ruim da ingestão desta substância é o prejuízo estético que ela causa:
Alimentos cítricos
Quando ingeridos sem escovação imediata, esta turma pode provocar erosão dentária, pois, deixam na boca substâncias que diminuem o seu pH e agem na estrutura base dos dentes. Deve-se tomar cuidado, principalmente com os que possuem alto teor de açúcar como a laranja, o limão e tangerina, pois além de ácidos por natureza, podem acelerar a desmineralização, como os demais açucares, alerta João Felipe Miranda.
Dicas para preservar a saúde dos dentes

– Escovar os dentes, no máximo, 5 minutos após as refeições

– Usar fio dental para evitar doenças da gengiva, como gengivite e periodontite

– Escovar a língua, local onde se instalam as bactérias causadoras do mau hálito

– Visitar um dentista a cada 6 meses para fazer uma limpeza profissional

Imprimir
Comentários