Mesmo com o fim do movimento dos médicos do Programa Saúde da Família, anunciada na terça-feira (13), os dentistas dos postos de saúde que estão trabalhando em horário reduzido, desde o dia 25 de março, continuam em greve.
A reunião entre esses profissionais e a Prefeitura ocorrerá no dia 20, quando poderá ser apresentada uma proposta de melhoria nas condições de trabalho e reajuste salarial que poderá levar ao fim do movimento.
?Depois que nos reunirmos com o prefeito iremos realizar a assembleia dos dentistas para saber se eles aceitarão essa proposta e terminarão com a greve?, explica o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Municipais (Sintramfor), Natanael Alves Gonzaga.
Com o foco da administração voltado para a greve de médicos, até então, nenhuma proposta formal foi feita para os dentistas, que há meses trabalhavam sem material básico e ainda reclamam da defasagem salarial e discrepância com os valores pagos para os demais profissionais que trabalham no Programa Saúde da Família que possuem formação superior.
Quando anunciaram a greve, os dentistas salientaram os seguintes pontos como justificativa para a paralisação dos trabalhos:
-Desde que a Pauta de Reivindicações, que abrange também os médicos do PSF, foi entregue ao prefeito no dia 27 de fevereiro, os dentistas foram deixados à margem das negociações nas diversas reuniões que ocorreram;
-Foi demonstrado nas reuniões com a administração municipal que atualmente os cirurgiões dentistas ganham menos da metade que um pedreiro, pintor ou eletricista que trabalham no comércio local e nem assim o Executivo se sensibilizou, desconsiderando o fato de que a atividade do cirurgião é muito mais complexa e exige um conhecimento científico, pois atendem pacientes hipertensos, diabéticos, gestantes e fazem procedimentos com anestesia local, visitas domiciliares, etc;
-Os profissionais fazem visitas domiciliares aos pacientes em veículos próprios, pois o Programa Saúde em Casa não disponibiliza transporte para a atividade;
-Algumas Unidades de Saúde não atendem às determinações legais que dariam suporte ao atendimento.
Com a nova reunião marcada, os profissionais esperam que sejam atendidas as reivindicações salariais e de condições de trabalho.

print
Comentários