O governo de Minas marcou para esta quinta-feira (21) uma nova reunião com representantes de sindicatos dos servidores públicos para discutir o pagamento do 13º salário. Nessa terça-feira (19), o secretário de Estado de Governo, Odair Cunha, se reuniu com membros dos sindicatos e garantiu que é prioridade do governador Fernando Pimentel (PT) realizar o pagamento. Apesar da promessa, ainda não houve nenhuma definição sobre como e quando será feito o pagamento do benefício ao funcionalismo.

Para solucionar o problema, a maior aposta do governo é a aprovação do projeto de lei que autoriza a securitização da dívida dos Estados. O projeto, que prevê a possibilidade de unidades da Federação venderem para instituições financeiras créditos tributários, tramita na Câmara dos Deputados e pode garantir um reforço de até R$ 2,5 bilhões aos cofres de Minas.

“Depende da aprovação da securitização da dívida para podermos pagar o 13º de forma mais célere”, disse Cunha. Apesar do otimismo, há chances de a votação na Câmara não ser realizada por falta de quórum.

Indagado sobre o anúncio do pagamento do 13º para os servidores da segurança pública e da Fhemig, o secretário explicou que a opção foi começar o pagamento por áreas que prestam serviços essenciais à população.

Imprimir

Fonte:

O Tempo Online