O núcleo do governo já demonstra preocupação com o desgaste político provocado pelos problemas no Enem. O atraso na divulgação do calendário do Sisu, que teve o resultado suspenso por decisão liminar do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, acendeu o sinal amarelo em alguns setores do governo.

A percepção é que o ministro da Educação, Abraham Weintraub, colocado na pasta para resolver problemas de gerenciamento, focou muito mais no embate ideológico do que na gestão administrativa do ministério. O problema com o Enem, por causa dos 5.974 candidatos que receberam notas erradas, é apenas a parte mais visível da gestão Weintraub.

“É preciso mudar de rota na Educação. Caso contrário, problemas constantes vão atingir o governo politicamente”, reconheceu ao Blog do Camarotti, do G1, um integrante da tropa de choque do governo no Congresso.

Mudanças em vários cargos de comando do Ministério da Educação, por exemplo, foram apontadas pelo relatório de uma Comissão Externa da Câmara como um dos principais problema da pasta. O documento apontou ainda “fragilidade do planejamento e da gestão” do ministério; indica metas atrasadas; mudanças na estrutura organizacional que interferiram na execução de projetos, entre outros pontos.

 

Fonte: G1 ||
Imprimir
Comentários