Às vésperas do primeiro clássico do ano e pensando mais à frente, Galo e Raposa optaram, no cardápio, pelo misto para entrar em campo nesta quarta, pela segunda rodada do Campeonato Mineiro, e vão com os chamados times alternativos. Uma forma de evitar sobrecargas comuns em começos de temporada, dar rodagem e ritmo de jogo a todo o grupo e fazer observações importantes, por exemplo, na hora de definir as relações de inscritos para a Copa Libertadores.

O bom futebol da estreia com a fácil goleada sobre o Boa Esporte (5 a 0) no Horto não mudou os planos de Levir Culpi para definir os 11 jogadores que mandará a campo – o que pode ser definido como uma terceira opção. Em relação ao grupo confirmado no treino da segunda-feira (21), a única dúvida está no meio-campo, já que Lucas Cândido, que deixou a movimentação de ontem mais cedo e acabou substituído por Bruninho. Entre as novidades, a estreia do zagueiro uruguaio Martín Rea, que chegou ao clube ano passado, bem como o aproveitamento de atletas que disputaram a Copa São Paulo – casos de Hulk, Neto e Alerrandro.

Folga 

O grupo considerado titular teve folga ontem e volta a trabalhar normalmente, assim como os reforços que ainda não tiveram oportunidade de estrear (o lateral Guga, o armador Vinícius e o meia Maicon Bolt). O Gavião Carcará volta a receber o Atlético em seus domínios depois de seis anos e, além do apoio da ruidosa torcida que costuma prestigiar o time no Almeidão, entra em campo embalado pelo bom empate com o Tupi no Mário Helênio, em Juiz de Fora. Satisfeito com o que viu, o técnico Ricardo Drubscky não confirmou os titulares, mas tudo indica que manterá a base da estreia, com destaque para o experiente meia Juan (ex-São Paulo, Flamengo e Fluminense) e o atacante Ricardo Jesus.

Estreia em casa

Se torcida alvinegra já teve a chance de prestigiar a equipe em casa, nesta quarta será a vez de a Raposa jogar pela primeira vez no ano no Mineirão. Diferentemente de Levir, Mano Menezes fechou as atividades de ontem à imprensa e deu poucas pistas do time que pretende mandar ao gramado para encarar a Patrocinense, limitando-se a admitir que mexeria “de 60 a 70%” na escalação da vitória sobre o Guarani, em Divinópolis. No ataque, Fred pode estrear se estiver totalmente recuperado da virose estomacal que o deixou fora do jogo de sábado – caso contrário, Sassá permanece como o homem-gol celeste.

Dois reforços podem fazer suas estreias: o lateral direito colombiano Orejuela, emprestado pela Ajax, e o volante Jádson, ex- Fluminense. Como no maior rival, a partida da noite de hoje pode servir ainda para observações de jogadores que vinham sendo pouco aproveitados no grupo (como o lateral esquerdo Patrick Brey), ou que retornaram de empréstimo, caso do zagueiro Fabrício Bruno, que tende a ser mais aproveitado com a negociação de Manoel. Sem Thiago Neves e ainda sem poder contar com os reforços para o setor, pelo menos um dos considerados titulares – Rafinha ou Robinho– deve ser mantido no meio, com dois jogadores pelas extremas ajudando o atacante de referência. Na equipe de Patrocínio, empolgação com a vitória sobre a URT na estreia mas, acima de tudo, respeito pelo atual bicampeão mineiro, o que deve justificar a postura cautelosa. O técnico Wellington Fajardo mexe na formação da Águia com a lesão de Jonathan Moc – Ian Barreto, que entrou em seu lugar domingo será mantido na lateral esquerda. Já o volante David, regularizado no BID, finalmente faz sua estreia ao lado de Bruno Moreno.

 

 

Fonte: Hoje em Dia ||

print

Comentários