Você que sempre reclamava de falta de tempo e desejava ter mais de 24 horas para fazer tudo. Saiba que esta terça-feira (30) é o seu dia de sorte. Pelo menos por um segundo.

É que os relógios de todo o mundo vão adicionar um segundo para consertar uma pequena defasagem entre a velocidade de rotação da Terra e a hora oficial registrada no planeta.

Esse ajuste acontece de forma periódica desde 1972. De lá para cá, já foram 26 correções, mudança que, embora seja pequena, é considerada significativa na sociedade.

O segundo será adicionado às 23h59m59s pelo horário de Greenwich (GMT), hora padrão da Terra. No Brasil, esse ajuste vai acontecer às 20h59m59s, hora de Brasília (fuso de três horas a menos em relação ao GMT).

No Observatório Nacional, localizado no Rio de Janeiro, o relógio oficial, chamado de atômico, irá registrar a seguinte sequência: 23h59min59s, 23h59min60s, para só então passar a 0h00min00s de 1º de julho.

Mas qual a importância de tudo isso?

De acordo com Ricardo José de Carvalho, chefe da divisão do Serviço da Hora do Observatório Nacional, a consequência de não ajustar o segundo nos relógios do mundo pode ser desastrosa.

“A internet, por exemplo, pode ser afetada, já que os servidores estão conectados e sincronizados pelo planeta. Atividades que dependem da rotação da Terra também, como a navegação marítima, que usa como parâmetro o tempo para saber a posição”, explica.

Ele afirma que o ponto mais crítico nesse ajuste de tempo será a sincronização de servidores utilizados no mercado financeiro.

Carvalho explica que na Bovespa, bolsa de valores localizada em São Paulo e que é uma das maiores do mundo, 45 milhões de operações ocorrem diariamente e podem ser afetadas caso a adição deste segundo não seja feita nos computadores de lá. Isso poderia causar prejuízo de milhares de reais.

Apesar de a adição ser rápida, a forma como alguns serviços digitais a receberão pode causar uma interferência generalizada e temporária.

Instabilidade temporária

A última vez que um segundo foi adicionado foi em 31 de dezembro de 2012. Nesta época, o mundo da internet sofreu com uma onda de instabilidade. Os problemas ocorreram com Mozilla, Reddit, Foursquare, Yelp, LinkedIn, o sistema operacional Linux e aplicações rodando em Java. A falha pode ocorrer porque muitos sistemas de computação, incluindo computadores, laptops, smartphones e afins, usam o Network Time Protocol (NTP), que registra as horas e está alinhado a relógios atômicos.

A maioria, porém, não está preparada para lidar com um segundo extra. A solução encontrada foi implementar uma modificação interna no NTP. Milissegundos são acrescentados ao tempo durante todo o dia que terá um segundo a mais. Assim, quando chega a hora, o segundo já foi acrescentado naturalmente.

Variações na rotação da Terra

O mecanismo que altera o segundo é chamado de Leap Second (ou Segundo intercalado, na tradução do inglês) e é determinado pelo Serviço Internacional de Sistemas de Referência e Rotação da Terra, organização que mantém padrões de referência e tempo globais.

De tempos em tempos, essa adição deve ocorrer devido a variações da duração do dia que se acumulam, provocadas por alterações na velocidade da rotação da Terra.O Observatório Nacional explica que essa variabilidade ocorre “em virtude dos efeitos gravitacionais do Sol, da Lua e dos planetas, e também resultado dos deslocamentos de massas terrestres em diferentes partes do planeta” – incluindo terremotos.

G1

print
Comentários