No dia 14 de novembro é comemorado o Dia Mundial do Diabetes. Em Formiga, a data foi celebrada no sábado passado (20), com diversas e atividades na praça São Vicente Férrer. O evento também marcou as comemorações do Dia D de combate à Dengue.
Diversos standes foram montados ao redor da praça, cada um com um tema diferente, oferecendo aos cidadãos que passavam pelo local uma série de serviços e informações sobre a dengue e o diabetes. No stande dedicado ao combate e prevenção ao diabetes, a população, além de receber informações, tinha a oportunidade de realizar gratuitamente a aferição de glicose, avaliação nutricional e, caso necessário, encaminhamento médico.
Entretanto, apesar de promover o evento visando a prevenção ao diabetes, Formiga caminha na contramão, pois tem faltado medicamentos, além de seringas, agulhas para os portadores da doença e aparelhos para medir a glicose nos postos de saúde.
Na reunião da Câmara Municipal, o vereador Cid Corrêa/PR comentou que, para combater o diabetes, é preciso muito mais do que um evento na parte da manhã, é preciso fazer a prevenção da doença todos os dias e dar apoio àquelas pessoas que estão em tratamento. Ele disse que tem recebido muitas reclamações de portadores da doença de que não estão recebendo insulina como deveriam, o que para ele é muito grave. O vereador disse que as pessoas que chefiam a Secretaria de Saúde devem ter mais atenção com a população formiguense e não deixar faltar insulina para os pacientes.

Mais denúncias
O presidente da Associação de Moradores do bairro Cidade Nova, Eduardo Mendonça Carvalho, fez uso da ?Tribuna do Povo? para apresentar os diversos problemas no posto de saúde daquele bairro, como rachaduras, deficiência no espaço físico, problemas no atendimento médico, dentre outros, além de apresentar um medicamento com data de validade vencida, que foi entregue a uma paciente diabética na unidade de saúde.
Segundo a paciente, que estava presente na Câmara Municipal, ao constatar que o medicamento estava vencido reclamou com a enfermeira do posto e ela teria dito que não tem como ficarem controlando as datas de validades dos remédios. A paciente ainda afirma que a enfermeira chegou a dizer que também não iria fazer mal algum ela tomar aquele medicamento vencido.
Recentemente, o jornal Nova Imprensa relatou que uma paciente, a qual faz uso de insulina duas vezes ao dia, antes recebia 30 seringas e agulhas, ainda assim tinha que reutilizar o material, que é descartável, porque precisaria de 60 seringas e agulhas, e agora só recebe 15. Na época, a secretária de Saúde, Luiza Flora, disse ao jornal que estavam fazendo um controle, porque descobriram que tinham pessoas pegando materiais e revendendo, mas que, em breve, essa questão seria solucionada. A paciente também não está recebendo insulina na quantidade necessária.
Procurada pela redação do jornal Nova Imprensa e do portal Últimas Notícias para falar dos problemas acima apresentados, a secretária Luiza Flora disse que foi procurada pelo presidente da associação do bairro Cidade Nova, mas que pediu a ele para apresentar por escrito as reivindicações, mas o presidente não levou nenhum documento.
Luiza Flora disse que só pode tomar atitude após uma denúncia formal, porque, no serviço público, ou se faz um requerimento solicitando ou manda uma carta ou oficio para que sejam tomadas as providências, mas, como ele não apresentou, não tem como tomar medidas.
Sobre o medicamento vencido, a secretária de Saúde disse que precisaria por escrito da data que foi entregue, ver o medicamento para procurar a enfermeira e tomar as providências.
Quanto à averiguação de pessoas que estariam vendendo os materiais que recebe, Luiza Flora contou que, embora passados cerca de dois meses, ainda não terminou de analisar o caso, que o almoxarifado terminou de fazer o levantamento por esses dias, mas ainda não apresentou o relatório. A secretária disse que iria averiguar todos os casos relatados.

Imprimir
Comentários