Uma dieta que inclui alimentos ricos em açúcar, sal e gordura, frequente nos países ocidentais e apelidada por cientistas de dieta da lanchonete, é uma bomba-relógio para acelerar problemas de saúde como o acidente vascular cerebral, indica um novo estudo apresentado ontem no Congresso Canadense de AVC.
Segundo os pesquisadores, esse tipo de alimentação desequilibrada, com alto teor calórico, acaba levando a mortes precoces e a um maior risco de sintomas da chamada síndrome metabólica – uma combinação de obesidade, hipertensão e altos níveis de colesterol, triglicérides e glicose no sangue.
Esses sinais foram observados em ratos em apenas dois meses de dieta pesada. Na época do trabalho, quando os roedores começaram a ficar doentes, eles tinham o equivalente a uma idade humana entre 16 e 22 anos. Os cientistas deram às cobaias sedentárias acesso ilimitado a alimentos nutritivos e também a besteiras, como biscoitos e salsichas. Os animais também tiveram à disposição água e uma solução com 30% de sacarose, que imitava refrigerantes e outras bebidas adoçadas. Assim como os humanos, os bichos preferiram consumir as guloseimas.
Em breve
Na opinião do autor do estudo, Dale Corbett, da Fundação do Coração e AVC do Canadá, em breve, devemos começar a ver pessoas com 30 ou 40 anos sofrendo derrame cerebral por causa da dieta de lanchonete. O pesquisador destaca a importância dos exercícios físicos regulares e de uma dieta equilibrada para prevenir a síndrome metabólica.

print
Comentários