A presidente Dilma Rousseff teria acertado a demissão do ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci nesta segunda-feira (6), mas a decisão final será tomada de acordo com o impacto do arquivamento do pedido de abertura de investigação na Procuradoria-Geral da República. A informação é do Jornal Folha de S. Paulo.
De acordo com a publicação, apesar de Palocci ter ganhado sobrevida no cargo, interlocutores da presidente avaliam que é mais provável que o ministro deixe o cargo. Nessa segunda-feira (6) o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, decidiu pelo arquivamento dos pedidos de investigação relacionados ao aumento do patrimônio de Palocci por entender que não existem indícios concretos sobre a prática de crime de enriquecimento ilícito.
Gurgel afirmou ainda que a lei brasileira não tipifica como crime a incompatibilidade entre o patrimônio e a renda declarada. O patrimônio do ministro cresceu mais de 20 vezes entre 2006 e 2010. A oposição e as centrais sindicais pressionam pela saída de Palocci.

print
Comentários