Nesta quarta-feira (25), comemora-se o Dia Internacional da Tireoide. As disfunções da glândula, localizada na parte anterior do pescoço, podem causar problemas de obesidade e depressão que atingem homens e mulheres. A glândula é responsável pela produção dos hormônios tiroxina e triiodotironina que regulam o crescimento, a digestão e o metabolismo do corpo.
Quando a tireoide trabalha menos que o necessário, acontece o chamado hipotireoidismo e com ele o cansaço, depressão, pele ressecada, anemia, fadiga, aumento de peso, períodos de menstruação irregular ou ausente, tornozelos e rosto inchados e colesterol elevado.
O oposto também pode acontecer. A glândula libera mais hormônios que o necessário trazendo problemas como nervosismo, aumento da sudorese, intolerância ao calor, palpitações, cansaço, perda de peso, diarréia, tremores, olhos saltados.
A doença muitas vezes é silenciosa. O aparecimento dos sintomas é quase sempre isolado. No hipotireoidismo, os casos com alterações quase imperceptíveis chegam a 40%. O tratamento é feito com remédios e em casos raros, a doença pode levar ao coma.
Os exames mais comuns para identificar problemas com a tireoide são os que avaliam os níveis de hormônios T3, T4 e TSH. Esse último é produzido pelo organismo para regular o funcionamento da glândula. Esse tipo de análise é ideal para se evitar problemas mais sérios.

Imprimir
Comentários