Documentos enviados pelo Ministério Público da Suíça à Procuradoria Geral da República confirmam que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), é o beneficiário efetivo das contas bancárias no país europeu. Cópias do passaporte e do visto norte-americano com fotos de Cunha, esposa e filha e papéis com nome completo, data de nascimento e endereço do parlamentar no Rio de Janeiro foram divulgados, nesta sexta (16), pelo “Jornal Hoje”, da TV Globo.

As evidências contrariam o depoimento do deputado à CPI da Petrobras, no qual negou a existência de tais contas – o que configuraria quebra de decoro parlamentar de Cunha.

Segundo as investigações, cerca de 4,8 milhões de dólares e 1,3 mi de francos suíços foram depositados em quatro contas, abertas entre 2007 e 2008. Destas contas, duas foram fechadas entre abril e maio do ano passado e as outras duas, que detêm 2,4 milhões de francos suíços (aproximadamente 2,4 mi de dólares), acabaram bloqueadas pelo MP da Suíça.

Os depósitos, segundo as investigações, viriam, em parte, de propina paga para um contrato firmado entre a empresa Companie Beninoise des Hydrocarbures Sarl, em Benin, na África, e a Petrobras.

O ministro Teori Zavaski, do STF, já havia autorizado, na noite dessa quinta (15), a abertura de um novo inquérito contra Cunha. Nesta sexta (16), a Procuradoria Geral da República, que recebeu 26 arquivos do MP suíço, disse que há “indícios suficientes” de que as contas do presidente da Câmara são “produto de crime”. A PGR também pediu bloqueio dessas contas.

esquema sem escola

 

 

O Tempo/ G1

Imprimir
Comentários