Da Redação

Na quarta-feira (23) durante o atendimento de uma requisição do Poder Judiciário da Comarca de Formiga, a equipe do Policiamento Ambiental esteve na Fazenda Cunhas onde constatou várias irregularidades.

Em contato com o proprietário do aludido imóvel rural, M. L. C., os policiais observaram a realização de obras implementares para parcelamento do solo (loteamento/subdivisão de gleba em lotes) em desacordo com a Lei Federal 6766/1979, com venda de lote através de contrato particular, edificação de residência, bem como não apresentação da comunicação de descaracterização do solo junto ao Incra.

Na propriedade foram constatadas ainda, intervenções ambientais irregulares como corte de 29 árvores nativas, sem proteção especial, localizadas em área comum, e corte de espécie protegida (pequizeiro). A lenha obtida do corte do pequizeiro ainda se encontrava no local.

Por essas infrações, o suspeito foi autuado e preso em flagrante, pelo cometimento de crime contra a administração pública. O material irregular foi apreendido.

 

Na data e ainda em atendimento da requisição do Poder Judiciário, os policiais constataram que o proprietário da Fazenda Cunhas, A.F.C. realizou obras implementares para parcelamento do solo (loteamento/subdivisão de gleba em lotes) em desacordo com a Lei Federal 6766/1979, com vendas de lotes através de contrato particular, edificação de residência, bem como não apresentou a comunicação de descaracterização do solo junto ao Incra. Diante do exposto, o autor também foi preso em flagrante delito, pelo cometimento de crime contra a administração pública.

 

A Polícia de Meio Ambiente solicita o apoio da população com intuito de identificar os locais de possíveis loteamentos e desmatamentos irregulares na região, repassando as informações para o 3º Pelotão de Meio Ambiente, pelo telefone: 3322-1454, ou, pelo DDU – 181.

A equipe do Policiamento Ambiental de Formiga, VP 19550, que realizou a ação é composta pelo sargento Carlos Eduardo e sargento Douglas.

Imprimir

Comentários