A cotação do dólar repercutiu a tensão política nesta sexta-feira (24). A saída de Sergio Moro do Ministério da Justiça levou a moeda a bater novo recorde histórico, chegando a passar dos R$ 5,70 durante os negócios, enquanto o agora ex-ministro fazia seu último pronunciamento no cargo.

Ao final dos negócios, o dólar fechou vendido a R$ 2,6573, em alta de 2,33%. Na máxima do dia, chegou a ser negociado a R$ 5,7469. 

 Já a Bovespa fechou em forte queda, tendo chegado a mais de 9% durante o pregão.

No ano de 2020, em meio a cenário de juros baixos – com expectativa de ainda mais cortes na Selic pelo Banco Central –, o dólar acumula alta de 41,09%. No mês, a alta acumulada é de 8,88%.

Atuação do Banco Central

Em meio à disparada do dólar, o Banco Central realizou nesta sexta-feira leilões de linha de dólar e de contratos de swap cambial para rolagem de vencimentos em ambos os instrumentos.

Em dinheiro “novo”, o BC injetou no mercado, entre os dois instrumentos, um total de US$ 1,545 bilhão, destaca a Reuters. O BC colocou ainda todos os 10 mil contratos de swap cambial (US$ 500 milhões) em leilão de rolagem e US$ 700 milhões em operação para postergar o vencimento de linhas de moeda estrangeira (a oferta era de até US$ 3 bilhões).

Fonte: G1

Imprimir
Comentários