O empresário Glaucos da Costamarques afirma ter assinado, em um único dia, todos os recibos de aluguel de 2015 referentes ao apartamento vizinho ao do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em São Bernardo do Campo, usado pelo petista e sua família Segundo Costamarques, os documentos foram levados a ele pelo contador de Lula, João Muniz Leite, a pedido de Roberto Teixeira – advogado e amigo do ex-presidente – quando estava internado no Hospital Sírio-Libanês, na capital paulista, em novembro daquele ano. As informações são do jornal O Globo. Lula foi condenado a 9 anos e 6 meses de prisão, é réu em seis processos e já foi denunciado em dois.

Os recibos haviam sido solicitados ao ex-presidente pelo juiz federal Sérgio Moro, durante o segundo depoimento prestado por Lula a ele, no dia 13. O petista disse que iria ver com seu contador onde estavam os recibos, entregues por sua defesa na segunda-feira, 26.

Os comprovantes apresentados referem-se ao período de agosto de 2011 a novembro de 2015. De acordo com o jornal, a defesa de Costamarques avalia ajuizar ainda nesta quinta-feira (27), uma petição na 13ª Vara da justiça Federal de Curitiba, revelando a forma como os comprovantes foram assinados e ainda solicitando imagens do circuito interno do hospital para comprovar as visitas feitas a Costamarques por Leite e Teixeira – o empresário ficou hospitalizado entre 22 e 28 de novembro de 2015

Se comprovada, a fraude pode ser classificada como tentativa de obstrução da Justiça por parte de Lula e seus advogados. O uso do imóvel pelo petista e sua família é investigado pela operação Lava Jato na mesma ação em que o ex-presidente responde sob suspeita de receber propina da Odebrecht por meio de um terreno onde seria construída a sede do Instituto Lula.

De acordo com o Ministério Público Federal, o aluguel do apartamento foi custeado pela Odebrecht como contrapartida a contratos firmados pela empresa com a Petrobras. Costamarques é primo do pecuarista José Carlos Bumlai, amigo de Lula.

Em depoimento a Moro, Costamarques confirmou que firmou o contrato de aluguel em 2011 com a ex-primeira-dama Marisa Letícia (falecida em fevereiro passado), mas diz que só passou a receber o pagamento em novembro de 2015, após a prisão de Bumlai, tendo recebido “calote” durante quase cinco anos. Apesar disso, afirmou ter declarado à Receita Federal todos os valores

Entre os recibos entregues pela defesa de Lula a Moro dois têm datas que não existem: 31 de junho e 31 de novembro. Em nota, a defesa do ex-presidente diz que os comprovantes dão quitação em relação aos aluguéis até dezembro de 2015. “Não há qualquer questionamento em relação às assinaturas que constam no documento. A quitação é a prova mais completa de pagamento, de acordo com a lei. Se houver qualquer dúvida em relação aos recibos, poderão eles ser submetidos a uma prova pericial. A defesa do ex-presidente Lula tem absoluta tranquilidade de que os documentos guardados por dona Marisa revelam a expressão da verdade dos fatos.”

Ainda segundo o advogado Cristiano Zanin Martins, “causa estranheza que todas as provas requeridas pela defesa para demonstrar que não existe qualquer valor proveniente da Petrobras envolvido no caso tenham sido indeferidas. A ação passou a ter como único foco uma relação privada de locação desde a audiência realizada em 13/09.”

Engenheiro reafirma não ter recebido aluguel de Lula pelo apartamento

O engenheiro Glaucos da Costamarques, afirmou nesta quarta-feira (27) ao jornal “O Estado de S. Paulo” que é “verdadeiro” o que disse ao juiz federal Sérgio Moro sobre não ter recebido aluguéis do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelo apartamento 121 do edifício Hill House, em São Bernardo do Campo (SP).

“É a verdade”, disse Glaucos ao ser questionado pela reportagem sobre o conteúdo de seu depoimento a Moro. Perante o juiz da Lava Jato, o engenheiro também havia sido taxativo ao dizer que não houve pagamento pelo apartamento. “Não recebi.”

Na segunda-feira (25), a defesa de Lula entregou recibos ao magistrado que comprovariam o pagamento do aluguel – duas notas fiscais têm datas que não existem, 31 de junho e 31 de novembro. A documentação contestaria a versão apresentada pelo engenheiro no interrogatório do dia último 6. À Receita Federal, Glaucos disse ter declarado que recebeu os valores sem, no entanto, recebê-los. “Eu declarei que eu recebi os alugueis, mas eu não recebi.”

O pagamento é uma das acusações da segunda denúncia do Ministério Público Federal, no Paraná, contra Lula. O ex-presidente está sendo processado por corrupção e lavagem de dinheiro nas obras do sítio de Atibaia. Os procuradores afirmam que parte das propinas destinadas a Glaucos, por sua atuação na compra de um terreno que abrigaria o Instituto Lula, foi repassada para o ex-presidente na forma da aquisição do apartamento 121.

O imóvel, segundo a denúncia, foi adquirido em nome de Glaucos, que seria um testa de ferro de Lula. A Procuradoria da República afirma que para tentar dissimular a real propriedade do apartamento, a ex-primeira-dama Marisa Letícia, morta em fevereiro, vítima de um AVC, assinou um contrato fictício de locação com Glaucos, datado de fevereiro de 2011.

Os investigadores sustentam que não houve o pagamento do aluguel até pelo menos novembro de 2015. Na segunda, a defesa de Lula apresentou documentos que contestam a versão dos procuradores. Dois recebidos, porém, apresentam datas que não existem no calendário.

Em recibo do suposto pagamento do aluguel, no valor de R$ 4,1 mil reais, consta que o vencimento seria no dia 31 de junho de 2014 – o mês tem 30 dias. Recebi da Sra. Marisa Letícia Lula da Silva a quantia de R$ 4.170,00 (quatro mil cento e setenta reais), em moeda corrente, referente ao pagamento de aluguel do imóvel situado na avenida Francisco Prestes Maia, n. 1501 – ap 121 – Residencial Hill House – São Bernardo do Campo-SP, vencido no dia 31 de junho de 2014, do qual dou plena, total e irrevogável quitação”, diz o documento, supostamente assinado por Glaucos da Costamarques.

Glaucos não quis comentar sobre os recibos. “Eu não estou autorizado a falar nada.” As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

 

Fonte: O Tempo||http://www.otempo.com.br/capa/pol%C3%ADtica/dono-de-apartamento-usado-por-lula-diz-que-assinou-recibos-em-um-dia-1.1525346

Imprimir

Comentários