As cidades de Dores do Indaiá e Igaratinga receberão verbas para reforçar o controle ao Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya. Os repasses foram divulgados pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) nessa segunda-feira (17). Os valores variam entre R$ 20 mil e R$ 40 mil.

As cidades estão na lista de 11 municípios contemplados com os novos repasses, feitos quinzenalmente pela SES-MG, e pertencem à região de atendimento da Superintendência Regional de Saúde (SRS) em Divinópolis.

De acordo com o portal G1, o secretário de Saúde de Dores do Indaiá, Cleber Tonaco de Sousa, disse que o valor ainda não foi depositado na conta do município.

Em Igaratinga, o portal foi informado que a secretária de Saúde, Elisângela Cristina Pimentel Campos, não estava na cidade.

Os recursos são destinados a municípios com a incidência de casos de dengue alta ou muito alta, para que sejam evitados óbitos em decorrência da doença. De acordo com o último Boletim Epidemiológico divulgado pela SES-MG na terça-feira passada (11), Dores do Indaiá aparecia com 82 casos registrados; Igaratinga tem 107 casos.

Valor por município beneficiado

Cidade

Incidência

População estimada

Parcela

Dores do Indaiá

Alta

13.541

R$ 40.000,00

Igaratinga

Alta

10.709

R$ 20.000,00

Repasses

Os repasses variam entre R$ 20 mil e R$ 400 mil e são destinados conforme o número de habitantes de cada município, com base em dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e do Tribunal de Contas da União (TCU) de 2018. Conforme a SES, cidades com população de até 25 mil habitantes recebem uma parcela única de R$ 20 mil.

Dentro do mesmo padrão, cidades com população entre 25.001 e 70.000 habitantes, recebem uma parcela única de R$ 40 mil. Cidades com população entre 70.001 e 100.000 habitantes têm direito à parcela única no valor de R$ 70 mil.

Já as cidades com população entre 100.001 e 400.000 habitantes, recebem uma parcela única de R$ 200 mil. Os municípios com população acima de 400.001 habitantes têm direito a uma parcela única de R$ 400 mil.

Incidência

A taxa de incidência da doença considera não apenas o número absoluto de casos prováveis (entre suspeitos e sob investigação), mas também a proporcionalidade dos casos em relação ao tamanho da população de um determinado município.

O último levantamento, divulgado pela SES-MG na última terça-feira, apontou que a SRS de Divinópolis tem 36 municípios com incidência de dengue considerada muito alta.

 Mortes por dengue

Em 2019 foram confirmadas 74 mortes por dengue em todo o Estado. Ao todo, são 127 mortes em investigação para dengue.

Foram confirmadas mortes em Arcos (1), Belo Horizonte (12), Betim (12), Contagem (2), Curvelo (1), Frutal (2), Ibirité (1), Ituiutaba (1), João Monlevade (1), João Pinheiro (4), Juiz de Fora (4), Lagoa da Prata (1), Martinho Campos (1), Monte Carmelo (1), Paracatu (1), Passos (2), Patos de Minas (1), Pitangui (1), Pompéu (1), Rio Paranaíba (1), Sacramento (1), São Gonçalo do Pará (1), São Gotardo (1), Uberaba (2), Uberlândia (14) e Unaí (2), Vazante (2).

 

Fonte: G1||

Imprimir

Comentários