Drunkorexia ou alcoorexia. Esses são os nomes do drama enfrentado pela personagem Renata, interpretada pela atriz Bárbara Paz, na novela Viver a Vida (Globo).
Trata-se de um transtorno misto, que envolve sintomas tanto da anorexia como do alcoolismo, mas que não se encaixa por completo na definição de nenhuma destas duas doenças. De acordo com um levantamento feito pelo Center for Motivation and Change, clínica de reabilitação dos Estados Unidos, cerca de 30% das mulheres alcoólatras também apresentam algum sintoma de anorexia. O público feminino é o principal alvo da doença.
A paciente com este quadro clínico deixa de comer para não engordar e consome bebidas alcoólicas para se sentir livre e se mostrar independente perante seu grupo, explica o psiquiatra Marcelo Niel, colaborador do Programa de Orientação e Atendimento a Dependentes da Unifesp. Uma pessoa anoréxica tem problemas de aceitação com a própria imagem, mas isso fica só com ela; é uma doença silenciosa. Enquanto uma pessoa com drunkorexia (alcoólatra ou que abusa do álcool), em seu estado de embriaguez, pode cair, se machucar, ficar agressiva, como acontece com a personagem da novela, continua Marcelo.
Anorexia x drunkorexia
É comum tratar a drunkorexia como uma nova versão da anorexia, mas essa concepção é equivocada, podendo comprometer o tratamento. Embora sejam muito parecidas, estas duas doenças se distinguem por sua motivação na anorexia, o dilema enfrentado pela paciente é a obsessão por emagrecer.
A percepção de seu corpo se altera e tudo é feito para perder peso, diz Marcelo.
Quando o quadro é a drunkorexia, observa-se uma relação com o peso, mas a motivação principal é o prazer que o álcool proporciona. Também existe a preocupação em passar uma imagem de independência, explica o psiquiatra.

print
Comentários