Duas pessoas morreram na madrugada desta sexta-feira (21) na ilha grega de Kos, no Mar Egeu, sacudida por um forte terremoto que também deixou numerosos feridos e importantes danos materiais, informou o diretor do hospital de Kos à AFP.

“Temos dois mortos e feridos. O teto de um edifício veio a baixo”, disse o diretor do hospital. Segundo os bombeiros, um bar funcionava no prédio que desmoronou no centro da cidade.

Um helicóptero com seis membros dos serviços de emergência saiu da ilha vizinha de Rodes para Kos a fim de ajudar na evacuação das pessoas presas nos escombros do bar.

O prefeito de Kos, Georges Kiritsis, confirmou à agência de notícias grega Ana a morte de duas pessoas na ilha e relatou “numerosos feridos”.

Segundo Kiritsis, os dois mortos eram “estrangeiros”.

Uma jornalista de Kos entrevistada pela rádio Skai informou que as duas vítimas fatais não estavam no bar, e sim na rua, onde foram atingidas por um prédio antigo que desmoronou.

O número de feridos ultrapassa 120, revelou o secretário da Marinha Mercante, Nektarios Santorinios.

O terremoto, de 6,7 graus de magnitude, abalou o sudoeste da Turquia e as ilhas gregas do Dodecaneso, segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS).

O tremor ocorreu à 01h31 local e seu epicentro foi situado 10,3 km ao sul de Bodrum, um famoso balneário turco, e a 16,2 km de Kos, a uma profundidade de 10 km.

O terremoto sacudiu a costa ocidental da Turquia e sobretudo Bodrum, onde provocou numerosas rachaduras nos edifícios, obrigando a evacuar o hospital da cidade por precaução, segundo a imprensa local.

“O maior problema são os cortes de luz em algumas zonas (da cidade)”, declarou ao canal NTV o prefeito de Bodrum, Mehmet Kocadon, acrescentando que não há mortos ou feridos na cidade.

O hospital de Bodrum teve de ser evacuado após o surgimento de rachaduras nas paredes.

A mesquita de Adliye, no centro da cidade, também ficou danificada e a polícia isolou a área por precaução, segundo a agência de notícias Anatólia.

O terremoto também abalou a península de Datca – outra importante zona turística – e Esmirna, a terceira cidade da Turquia, além da ilha grega de Rodes.

No balneário turco de Bodrum, cerca de 80 pessoas foram hospitalizadas por causa do terremoto, informou a imprensa local.

A maioria se feriu ao pular dos prédios em que estava durante o tremor ou nas quedas provocadas pelo abalo sísmico, segundo a emissora NTV.

Os feridos tiveram de ser atendidos no jardim do hospital. Como o teto do estabelecimento foi danificado, preferiu-se não correr o risco de levar os pacientes para dentro do prédio, explicou o governador de Bodrum, Bekir Yilmaz, citado pelo jornal “Hurriyet”.

Todos passam bem, sem ferimentos graves, completou.

Imprimir

Fonte:

Estado de Minas