No dia 17.01 foi iniciada a vacinação contra o coronavírus. Esse fato gerou alívio e otimismo, justamente em um momento de nova onda de aumento do número de infectados e de mortes, e, com isso, vivemos novas restrições de funcionamento da economia.

O início da vacinação trouxe euforia e era esperado o Brasil ter pronto um plano de recuperação econômica, mas só restou fatos negativos, como os divulgados pela Ford e Banco do Brasil.

No dia 10.01, a Ford anunciou a intenção de fechar todas as suas fábricas no Brasil, dentro de uma estratégia mundial, em tempo de inserção no mercado dos carros elétricos e híbridos.

No dia 11.01, o Banco do Brasil divulgou plano de fechamento de agências e desligamento voluntário de cerca de 5000 funcionários. Esse plano tem o objetivo de adequar o Banco ao quadro da digitalização bancária, onde diversos bancos (Nubank, Inter, Original, etc.) possuem milhões de contas e não têm agências físicas. Essa prática é corriqueira no mercado bancário, mas não era esperada de um banco público com preocupação social, principalmente na crise atual.

O Ministro da Economia, Paulo Guedes, na reunião ministerial de 22.04.2020, afirmou “O Banco do Brasil é um caso pronto de privatização… Então tem que vender essa porra logo” e, por ironia, o Banco como todos os bancos públicos, foi instrumento importante para garantir empréstimos, na pandemia, para salvar empresas e empregos, além de terem operacionalizado o pagamento do auxílio emergencial.

O Presidente Jair Bolsonaro se enraiveceu com os planos do Banco e ameaçou exonerar o seu presidente, mas foi dissuadido por Paulo Guedes. No final, foi mantido o plano de enxugamento e o presidente do Banco, para alegria dos acionistas do Banco.

Paulo Guedes tem visão rentista gestada no mercado financeiro e, em meio à pandemia, vê a disparada dos ganhos no mercado financeiro. Por exemplo, em 2020, R$ 100 mil aplicados em 01.01 em dólar (com compras e vendas ao longo do ano), teria chegado no final do ano com o total de R$ 186 mil, ou seja, 86% de rendimento. Agora, no mercado de ações, quem adquiriu R$ 100 mil em ações da Taurus, no dia 23.03, a 2,18, chegaria em 03.12.2020, com o valor total de R$ 887.125,80, ou seja, rendimento de 787%.

Dessa forma, Jair Bolsonaro deveria ficar irritado por não existir plano de recuperação econômica, de reindustrialização, de estímulo aos pequenos e médios negócios, de enfrentamento da inflação e da disparada do dólar, de combate ao aumento do endividamento privado e público, de reformas (tributária, administrativa, etc.). Entretanto, se os Bancos brasileiros estivessem em dificuldades, já existiria um plano de socorro para eles.

Infelizmente, o Brasil, com necessidade de nortes para o crescimento, tem um Ministro da Economia com visão rentista e sem ação para indicar rumos para a recuperação econômica.

Euler Antônio Vespúcio – advogado tributarista

Imprimir
Comentários