A alimentação escolar na rede estadual de Minas Gerais ganhou um reforço de peso. A Secretaria de Estado de Educação (SEE), em parceria com entidades de vários setores, criou um grupo de trabalho para discutir a alimentação nas escolas do Estado. Formado por membros da SEE, Conselho de Segurança Alimentar Sustentável de Minas Gerais (Consea), Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), representantes de universidades do Estado, entre outros, o grupo vai discutir propostas em torno da alimentação escolar na rede estadual.
Na quarta-feira passada dia (9), a secretária de Estado de Educação, Ana Lúcia Gazzola, recebeu o presidente do Consea, Mauro Morelli, e acertou a formação do grupo. As propostas criadas a partir dessas discussões serão organizadas em um documento, que posteriormente deve estabelecer metas para fortalecer a área de alimentação escolar. Entre as propostas estudadas está a capacitação à distância de gestores sobre a questão nutricional.
?A capacitação é uma das ideias e tem o intuito de fazer com que o gestor da escola entenda a importância de ter a alimentação escolar como prioridade, tanto no momento de adquirir os alimentos, quanto na formação de um cardápio balanceado. Esse, contudo, é apenas um dos pontos a serem discutidos. Esse grupo é muito importante, pois cria um fórum permanente de discussões sobre alimentação escolar?, explica o subsecretário de Administração do Sistema Educacional, Leonardo Petrus, que participou da reunião desta quarta.
Outra questão na pauta de discussões do encontro foi a lei 11.947/2009, que determina que ao menos 30% dos recursos repassados pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) para alimentação escolar devem ser adquiridos diretamente da agricultura familiar. Com o intuito de fortalecer a participação do agricultor familiar, a SEE reforça a parceria com a Seapa. ?Nossa intenção é de que a participação da agricultura familiar na alimentação escolar aumente progressivamente. Para isso, é importante essa proximidade com a Seapa e com a Emater, pois eles podem ajudar o agricultor familiar a se organizar para aumentar essa cota?, completa Leonardo Petrus.

Prioridades da Educação
A formação do grupo de trabalho para discutir a agricultura familiar reforça a visão da secretária Ana Lúcia Gazzola para a educação de Minas Gerais. Uma das prioridades da secretária em sua gestão é justamente ampliar a interlocução com todos os atores envolvidos na questão da educação. Além das várias entidades que já integram o grupo, Ana Lúcia sinalizou que pretende convidar representantes de outros setores para participar da discussão.

print
Comentários