O egresso do curso de fisioterapia, Caio Cesar Quintiliano Ferreira, foi aprovado no mestrado em Ciências da Saúde da Universidade Federal de Lavras (UFLA).

O processo seletivo foi realizado em junho e contou com prova objetiva, prova de conhecimentos em língua inglesa e análise de currículo. As aulas tiveram início em setembro e o projeto nas áreas de Alterações Metabólicas e Epidemiologia será desenvolvido sob a orientação da professora Dra. Miriam Monteiro de Castro Graciano.

Caio Cesar Quintiliano Ferreira é formiguense e, após concluir a graduação, mudou-se para Lavras e se envolveu em trabalhos da UFLA, onde participou de grupos de pesquisa e realizou atendimentos. Também atuou em clínicas de referência e fez vários cursos de formação e pós-graduação em osteopatia.

“Trabalhei em uma clínica de referência em Lavras, com outros 15 fisioterapeutas. Logo no início, percebi como foi enriquecedora a formação que recebi no Centro Universitário de Formiga, porque nunca enfrentava dificuldade por falta de conhecimento sobre qualquer área e sempre fazia o melhor e mais humano atendimento”, ressaltou.

O entrevistado sempre manteve contato com os docentes do Unifor-MG, dentre eles, os professores mestres Diequison Rite da Cunha,  André Carvalho Costa, Andrei Pereira Pernambuco e o coordenador do curso de Ffsioterapia, Wellerson Costa Faria. Ele realiza trabalhos na UFLA há quatro anos e, nesse período, promoveu eventos em parceria com professores do Centro Universitário.

“O Unifor-MG apresenta uma estrutura muito ampla e completa e está no mesmo nível das melhores instituições do País. O Centro Universitário de Formiga me ajudou muito. Só tenho a agradecer o incentivo, o apoio e a parceria dos professores que são exemplos na minha formação e carreira”, destacou.

Caio tem dois estúdios de Pilates em Lavras e atua nas seguintes áreas: Pilates, Osteopatia, Dry Needling (agulhamento a seco), Liberação Miofacial (instrumental) e Ventosaterapia. Ele disse que o mestrado é um sonho realizado e vai ajudar muito em sua evolução profissional. “Espero aprender o máximo possível e compartilhar esse conhecimento futuramente, além de produzir um projeto que ajude o meio científico, acadêmico e a população”, afirmou.

(Foto: divulgação Unifor-MG)

IMPRIMIR

Fonte:

Unifor-MG