Na semana passada, foi publicada a entrevista com o candidato à presidência do Partido dos Trabalhadores (PT) em Formiga, Marcos Ferreira (Marquinhos do PT. Nesta edição, a entrevista é com o outro candidato, Dimas José Silva, que milita no partido desde 1983, tendo exercido o cargo de funcionário da sede do Diretório como voluntário durante um ano e também já foi membro efetivo do Diretório e da Executiva. As eleições ocorrerão no dia 22 de novembro, nos âmbitos municipal, estadual e nacional e o mandato é de 4 anos.
Propostas de mandato
De acordo com o candidato Dimas Silva, são várias as propostas para o partido, como resgatar as tradições petistas; fortalecer o Diretório; reforçar o apoio à administração municipal; formar setoriais e a partir deles formar lideranças futuras; participar e promover eventos ligados à comunidade; aproximar o partido dos sindicatos, direção de escolas, entidades, igrejas, visando a criação de lideranças; abrir a sede do Diretório para reuniões de entidades sem espaço para os encontros; criação de uma secretaria de comunicação do partido; promover cursos de formação política dos filiados; dentre outras.
Um dos meus objetivos é chamar mensalmente na reunião do diretório os secretários, principalmente os do partido e mais o prefeito para fazer um relatório, dialogar com o pessoal, já que isso não vem acontecendo há algum tempo. No caso não diria uma reaproximação, e sim uma caminhada com uma presença maior deles aqui no partido, para explicar sobre projetos,salienta o candidato.
Avaliação do cenário político
Sobre os embates do cenário político formiguense, Dimas Silva falou que houve uma separação entre o partido e administração. Nós dirigimos o PT e o prefeito dirige a Prefeitura. Ele age de acordo com os estatutos do partido, caso contrário, estaria sendo repreendido. Então, o recado do partido chega na administração em forma de trabalho. Essas questões realmente surgem, todos os assuntos como Câmara, CPI, diárias, tudo é passado aqui na reunião com os filiados e com o Diretório, isso é esclarecido aqui dentro das reuniões mensais. É constada em ata, a posição do partido, de início, nossa posição é realmente de caminhar com a administração, ressalta. Pelo fato do prefeito ser do partido, as pessoas acham que ele manda na Prefeitura e não é bem por ai. Ele tem o jeito dele de governar, e tanto que, a administração também usufrui desta condição, já que o prefeito é petista, em questões de verbas, e outras coisas que têm vindo para Formiga, por meio de deputados do PT, as vezes diretamente da Presidência da República, Formiga já foi agraciada com muitos projetos, creio eu que é pelo fato dele ser do PT, completa Dimas.
Quanto à Câmara, o candidato comenta que o PT tem uma relação muito boa. Temos um vereador lá. Às vezes, eu até percebo uma certa tristeza lá. Fico pensando o que levou os vereadores agirem dessa maneira de trancarem pauta. Uma de minhas propostas é manter um relacionamento bom, tanto com a administração, quanto com a Câmara.
Situação do PT
Dimas Silva discorda que o PT municipal deu uma enfraquecida nos últimos tempos. Em termos de enfraquecimento, seria a falta de reunião. Tanto no país como em Formiga também houve uma acomodação, é necessário voltar a nos entendermos com as bases. Houve sim uma acomodação, mas não um distanciamento.
O candidato contou também que, em Formiga, a comunidade petista filiada é uma minoria que participa. Em reuniões, tem vezes que vem 25, 15 pessoas. Temos aproximadamente 173 filiados no partido, todos aptos a votarem, desde que estejam em dia com a contribuição anual com o partido. Nós fazemos um repasse para o diretório estadual todo mês de 25% da arrecadação, aproximadamente R$ 1 mil, uma parte também é repassada para o diretório nacional. É por isso que é necessário se ter um diretório, um expediente aberto.
Alianças partidárias
Em relação a aliança feita a nível estadual pelos partidos PCdoB, PT e PMDB, se poderia repercutir em Formiga, Dimas Silva disse que na verdade houve uma inversão. Quem achávamos que ficaria contra a administração, hoje são a favor. A nível municipal, para as eleições para prefeito, eu não ousaria e enxergar tão longe assim, porque, com a nova direção do partido, teremos que trabalhar novas lideranças. Pretendemos ter no mínimo três vereadores nas próximas eleições e um sucessor do Aluísio. Isso vai depender de muitos acontecimentos. Se for necessário fazer aliança com isso ou com aquilo, vamos fazer. Se não tivermos um nome do partido, nós apoiarmos um outro nome. Há sim uma aliança com o PCdoB, pois trabalhamos na mesma linha de serviço, com o PSB. O PMDB por exemplo. não é bem a nossa linha não, mas é um partido de sustentação do governo federal, um partido tradicional, bem representado. Há interesse e vai haver, pelo menos da minha parte, um diálogo já de início. Se eu for eleito, a ideia é reunir todos esses partidos, tanto os de sustentação quanto os de cunho socialista, que é o que interessa pra nós. A questão de aliança, elas vêm até naturalmente, independente do que esteja traçando. Eu sou a favor do diálogo, não discrimino ninguém em termos de partido.
Eleições presidenciais
A respeito das eleições para deputado e majoritárias, qual seria a projeção e se o candidato seguiria a linha do partido, tanto na esfera estadual quanto nacional, Dimas Silva disse que isso já é uma coisa mais a nível da Executiva do partido, que deve ser passado pelo presidente atual, que ficará até fevereiro.
Nomes no PT local
Sobre futuros nomes, já que o prefeito Aluísio Veloso/PT não pode mais se reeleger para prefeito, o candidato disse que trabalhando bem, fazendo um trabalho bom nas bases, tem certeza de quer vão surgir novos nomes. Nós vamos conseguir sim fazer o sucessor do Aluísio, porque o nosso projeto não é para quatro anos, nem para oito e sim para vinte anos ou mais de administração voltada para o social. Esse tipo de administração entre povo e governo, em que o prefeito tem conduzido tão bem em Formiga, e que está sendo seguida como exemplo, em várias cidades no Brasil, não só em Minas Gerais. O nosso objetivo é formar nomes mesmo. Mas o PT sempre tem nomes, estamos tranquilos quanto a isso.
O que os petistas podem esperar se for eleito presidente?
Eu tenho conversado com cada um e dando a visão de alguns itens. Mas todos os filiados conhecem meu trabalho no partido, mesmo os recém chegados, estou à frente do expediente no diretório há mais de cinco anos. Eles podem esperar do partido, principalmente ética, além de dedicação integral. Eu quero ser um presidente funcionário. Nós vamos incrementar mais ainda este diretório, mobiliar, dar mais condições, adquirir telão, fazer curso de formação política, tanto em Formiga, quanto em outras cidades, disse.
Na hora do trabalho, é o PT convergendo pra frente, pra trás não, passado é bonito, mas é passado. Os companheiros que quiserem apoiar, estou aberto a todos aqueles que quiserem trabalhar, tanto os mais antigos, quanto os mais novos, concluiu Dimas.

print
Comentários