Da Redação – Últimas Notícias

Os registros de crimes violentos têm assustado a população de Formiga. No início do mês, em apenas cinco dias, dois assassinatos e duas tentativas de homicídio foram registrados na cidade.

A situação levou à criação de uma Força Tarefa da Polícia Civil, liderada pelo delegado regional em exercício Danilo César Basílio, que acompanhado do inspetor regional em exercício Luciano Costa Penido, realizou na tarde desta sexta-feira (24), uma coletiva para prestar contas à população sobre a conclusão das investigações dos casos.

Para que as apurações ocorressem no menor espaço de tempo possível, agentes que estavam de férias foram convocados a retornar ao trabalho. Ao todo, cinco delegados, 12 investigadores, quatro peritos e quatro escrivães compuseram a Força Tarefa que elucidou os casos em exatos 17 dias. O trabalho foi executado de 5 a 22 de janeiro.

“É importante trazer luz sobre esses fatos para que a população seja cientificada de que o índice de apuração de crimes contra a vida em Formiga fica próximo de 100%, mostrando o comprometimento da equipe”, disse o delegado que, ao ser questionado sobre o possível aumento da criminalidade em Formiga por causa da instalação da Penitenciária, disse que há sim relação. “De fato, quando presos são transferidos para Formiga, acabam criando laços com criminosos do município e eles se unem na prática de crimes, porém, todos os casos agora apurados foram cometidos por pessoas da cidade, sem relação com pessoas presas ou com criminosos de outros municípios”.

Crime no Nossa Senhora de Lourdes

Sobre a tentativa de homicídio contra um adolescente de 17 anos que foi alvejado por 11 tiros em frente à residência dele, no bairro Nossa Senhora de Lourdes no dia 3 de janeiro, o delegado esclareceu que os dois envolvidos foram presos poucas horas depois do crime e que ambos são maiores de idade. A polícia já identificou as pessoas que forneceram a arma e a motocicleta utilizada na tentativa de assassinato.

“O menor alvo dos tiros já havia se envolvido em uma tentativa de homicídio contra um dos suspeitos de tentar matá-lo. Trata-se de uma rixa entre rivais”, explicou Danilo.

Crime na padaria

A tentativa de assassinato do adolescente tem relação a outro crime contra a vida, registrado no dia 6 de janeiro, quando uma pessoa invadiu a área de produção de uma padaria, no bairro Jardim das Acácias, e efetuou diversos disparos de arma de fogo contra dois homens que trabalhavam no local. Ninguém se feriu.

“O crime no Jardim das Acácias foi cometido por dois adolescentes já identificados. Eles fazem parte do mesmo grupo criminoso do adolescente alvo de tiros no Nossa Senhora de Lourdes e, imaginando que o jovem de 22 anos, que trabalha no local, teria algum envolvimento com o crime, tentaram matar ele e outra pessoa que estava no estabelecimento. Porém, trata-se de uma falácia. O profissional da padaria nada tem a ver com esse caso”.

Na época do crime foi divulgado que nenhum dos profissionais da padaria, vítimas da tentativa de homicídio, tinham passagens pela polícia.

Os adolescentes envolvidos no crime (um fez os disparos e outro aguardou em uma moto do lado de fora) também já foram identificados e a polícia aguarda a liberação de vagas em centros socioeducativos para que sejam internados.

1º assassinato de 2020

O delegado Danilo César também deu detalhes da apuração da morte de Paulo Vitor de Menezes, de 16 anos, que foi agredido até a morte no dia 5 deste mês.

O menor foi agredido por três pessoas, duas delas já estão presas. Porém, um terceiro envolvido (W.V.R. de 20 anos) continua foragido.

A PC encontrou ainda, um capacete que também teria sido usado para agredir o jovem. Além de marcas de sangue da vítima, no interior do equipamento de segurança foram encontrados fios de cabelo que, por meio de perícia, podem confirmar a participação de um dos suspeitos do crime.

2º assassinato

Sobre a morte de Anderson Máximo de Faria (Andinho), morto com quatro tiros no dia 7 de janeiro, no bairro Novo Horizonte, as informações são de que, nesta semana, a polícia conseguiu apreender a arma utilizada no crime, uma munição e um menor, que confessou participação no crime com riqueza de detalhes. Segundo informou o delegado, o assassinato contou com a participação de, pelo menos, outras duas pessoas já identificadas. Um quarto possível envolvido continua a ser investigado.

A motivação para o crime foi o envolvimento da vítima com o tráfico de drogas e roubos.

Elucidação de outros crimes

Além da conclusão dos inquéritos sobre os crimes contra a vida, durante a Força Tarefa a polícia conseguiu solucionar dois casos de furto a motocicletas e crimes relacionados ao tráfico de drogas.

Imprimir
Comentários