Na manhã desta sexta-feira (06), policiais militares acionaram o fiscal de ‘posturas’ do município de Arcos e a Vigilância Sanitária para verificarem uma situação de saúde pública.

Várias pessoas naturais de Formiga, Ribeirão das Neves e outras cidades da região metropolitana de BH estavam produzindo doces em condições totalmente insalubres e revendendo os produtos em variados pontos da cidade.

Os cidadãos estavam instalados em um ônibus que também servia de cozinha e dormitório para eles. O veículo estava estacionado na avenida Marginal Um, bairro Mangabeiras.

Quando os militares e o fiscal de ‘Posturas’ chegaram ao local, ficaram surpresos com as más condições de higiene nas quais eram fabricados os condimentos, pois havia muitos insetos mortos dentro das panelas de doces e frutas e em meio aos alimentos. Além disso, o aquecimento era feito num lugar totalmente inadequado. Os envolvidos foram notificados pelo fiscal e os produtos, impróprios para consumo, apreendidos no ato pela Vigilância Sanitária.

Continuidade

Em seguida, os militares saíram com a missão de localizar quatro vendedores ambulantes e impedir a comercialização dos doces e cocadas, o que foi feito. Dois deles estavam na área central e outros dois, próximos à BR-354. Os produtos foram apreendidos e recolhidos pelos funcionários da Vigilância Sanitária.

Como tudo começou

A iniciativa da PM em acionar os setores da Prefeitura, responsáveis por esse tipo de providência, ocorreu após a que um cidadão que pertencia ao grupo envolver-se em uma ocorrência de roubo no domingo passado (1º). Na oportunidade, ele usou um facão para ameaçar um jovem, de 18 anos, roubando-lhe dinheiro e uma bicicleta.

O jovem foi, posteriormente encontrado e preso pela Polícia Militar no bairro Alto das Mangabeiras.

Antes da condução à Delegacia, ele mostrou aos policiais onde estava ficando escondido, o que fez com que eles vissem as más condições de higiene para a produção dos alimentos e decidiram agir oportunamente.

Imprimir

Comentários