Redação Últimas Notícias

Na manhã desta sexta-feira (11), o secretário de Saúde, Leandro Pimentel e o diretor técnico da UPA, Vladimir Moreira, concederam uma coletiva de imprensa, na Secretaria de Saúde, para explicar a atual situação da Covid-19 em Formiga.

Os profissionais falaram sobre vários assuntos envolvendo a doença e destacaram, principalmente, a qualidade do tratamento a pacientes que estão internados no Hospital de Campanha (local onde funcionava a UPA) ao lado da Santa Casa de Caridade.

Leandro Pimentel disse que Formiga está com uma estabilidade no atual cenário da pandemia há mais de um mês e isso se dá, é claro, devido a vacinação contra a Covid. “A vacinação em Formiga segue o mesmo ritmo do Brasil, assim que chegam mais doses, mais pessoas são vacinadas. Já vacinamos todos os idosos, a grande maioria das pessoas com comorbidades e iniciamos a imunização dos profissionais de educação”.

De acordo com o secretário, 8476 pessoas já contraíram o vírus e mais da metade da população já foi testada e também a perda de 204 vidas. No fim dessa quinta-feira (10), novamente 100% dos leitos voltaram a ser ocupados.  

“As dosses chegam já destinadas para determinado grupo. Isso desagrada alguns, mas o município segue os critérios estabelecidos”.

Dez pacientes estão internados na UTI do hospital de campanha. Destes, quatro são de Formiga e 16 estão na enfermaria, sendo seis residentes em Formiga.

Já na Santa Casa, dos 19 que estão em clínica médica, dois são de Formiga e dos 17 que ocupam a UTI, três são formiguenses.

Ou seja, atualmente, 15 pacientes de Formiga seguem internados.

O médico Vladimir Moreira explicou que pode sim pensar em uma terceira onda da doença, mas, Formiga está se destacando entre as cidades da região. “Muitas cidades novamente estão fazendo lockdown e nosso papel é ajudar esses municípios. Esses leitos é para que ninguém fique sem oxigênio ou medicamento. Hoje, não temos a UPA mais, temos um hospital cadastrado pelo SUS Fácil. As pessoas acham que a estrutura não é tão boa quanto a da Santa Casa e isso não é verdade. Temos respiradores reservas, o paciente é monitorizado 24 horas e eles não ficam sem sedação”, destacou.

Vladimir explicou que entre domingo e segunda-feira, cinco pacientes tiveram alta e na segunda-feira, outros cinco. “Estamos cansados, mas não vamos parar de lutar Não está faltando nenhuma medicação. A mesma estrutura que temos é a mesma da Santa Casa. A única diferença é o sistema de hemodiálise que tem na Santa Casa. Por isso não há necessidade de transferência de pacientes”.

Custos do hospital de campanha

Leandro explicou que o custo do hospital de campanha é alto. Nesta semana, foi feito orçamento para a compra de alguns medicamentos para abastecimento por três meses e o valor foi de R$.1140 milhão. “O valor que o município recebe é baixo e, mesmo assim, o prefeito decidiu manter esse hospital de campanha”.

SAD

A base do Serviço de Atendimento Domiciliar (SAD), atualmente, funciona no Ginásio Vicentão. De acordo com Leandro, a testagem está sendo feita no Vicentão. “A pessoa que consegue se deslocar pode ir até o Vicentão fazer o teste. Não faltam teste em Formiga e a última compra foi de 6 mil unidades. As pessoas que têm sintomas que devem fazer o teste. Todas aquelas com sintomas serão testadas”, destacou o secretário de Saúde.

Segunda dose da vacina   

Leandro confirmou que em Formiga existe alguns casos de pessoas que tomaram a primeira dose da vacina e não procuraram para receber a segunda dose do imunizante. É importante a pessoa ficar atenta para o dia da aplicação da segunda dose.

Próximos grupos a serem vacinados

Questinado sobre os próximos grupos a serem vacinados, Leandro explicou que essa escala vem sendo alterada e não pode afirmar ao certo. “Paramos de receber doses destinadas a profissionais da saúde e de segurança pública. Veio doses para os comórbidos e poucas para profissionais da educação infantil. Não podemos tirar doses de um grupo e colocar para outro. Entidades de classe moveram processos contra o município. Pode chorar, reclamar, mas não vamos fazer isso. Precisamos de quase 3.700 doses para terminar a imunização dos profissionais da saúde e até agora não tivemos resposta do Estado. Cadê a vacina desses trabalhadores governador?”, indagou Leandro.

Óbitos x vacinação

O secretário explicou ainda que a maioria dos óbitos foi de pessoas que ainda não haviam sido vacinadas. “A vacina é eficaz e é a grande responsável pela redução dos óbitos. Existem casos sim, de pessoas já vacinadas e vieram a óbito, porém, isso é muito raro.

Estrutura no Vicentão

Questinado pelo portal, Leandro disse que as estruturas no Ginásio Vicentão e do Hospital de Campanha vão continuar montadas. “A do Vicentão está reduzida, chegou a ter 32 pacientes e hoje conta com um ou dois. A gente não sabe se vai ter uma nova onda, por isso, precisamos nos mobilizar. Esperamos que não tenha uma terceira onda, mas não temos nenhuma garantia que isso não vá acontecer”

Casos de Covid em crianças

Vladimir Moreira disse que em Formiga teve casos de crianças com sintomas gripais apenas leves, mas caso seja confirmado um caso grave, essa criança terá todo o atendimento e, se preciso, será transferida para uma UTI pediátrica.

Imprimir
Comentários