Redação Últimas Notícias 

Boa parte das espécies de árvores plantadas nas praças e avenidas de Formiga, especialmente nas margens dos rios Formiga e Mata Cavalo é de grande porte. A utilização de espécies nativas na arborização de áreas urbanas é indicada por proteger e valorizar a flora local.

Porém, a falta de manutenção das árvores está fazendo com que os galhos acabem se quebrando com o excesso de peso, o que coloca a população em risco.

Com o período chuvoso, a possibilidade de queda de árvores e galhos aumenta. No mês passado, por exemplo, um motociclista foi atingido por um galho de árvore enquanto trafegava pela avenida José Arantes, no Centro. Por sorte, o homem não se feriu.

Duas árvores que não receberam manutenção e estão deixando os moradores apreensivos estão localizadas na rua Adriano Lino Alves, no bairro Novo Santo Antônio.

Foto: Glaudson Rodrigues/Últimas Notícias

O motivo da preocupação é que há ameaça de que elas caiam sobre algumas residências da rua. No local é comum a queda de galhos, o que coloca em risco pedestres, motociclistas e motoristas que trafegam pela via, além de danos materiais.

Segundo um morador, ele já fez várias solicitações junto à Secretaria de Gestão Ambiental para a realização do corte das árvores, inclusive propondo comprar mudas de árvores de menor porte e próprias para o local e plantá-las em substituição às que seriam cortadas, mas até o momento nada foi feito.

“Estamos no período de chuvas e temos visto várias reportagens de árvores caindo sobre veículos, pessoas e casas por todo o país. Não podemos esperar que o mesmo aconteça em Formiga. O barranco onde elas estão não dá sustentação para árvores deste porte. Algo tem de ser feito antes que seja tarde demais”. O morador informou que ele mesmo já plantou várias mudas no terreno, porém compatíveis para o local e que não irão trazer transtornos futuramente.

A falta de poda das árvores causa sobrepeso no tronco. Além disso, os galhos se espalham rápido, alcançando os fios da rede elétrica, e em outras situações ficam muito próximos do chão, aumentando ainda mais o perigo.

No dia 11 deste mês, um curto circuito foi registrado na rua José Elísio Ribeiro Mendes, próximo à ponte da Nestlé. O caso ocorreu após um temporal e, segundo testemunhas, foi causado pela falta de poda nas árvores.

Erva-de-passarinho

Além da falta de poda, grande parte das árvores da cidade está tomada por erva-de-passarinho. À distância, os galhos com pequenas folhas verdes que pendem nas árvores podem parecer inofensivos, e em alguns casos até graciosos. Boa parte deles, porém, alertam para um problema que tem feito a vegetação urbana do município agonizar: a praga rouba nutrientes das árvores e, quando não controlada, fragiliza e mata a planta onde se hospeda.

Na avenida Paulo Brito, uma árvore localizada às margens do rio Mata Cavalo está tomada pela erva.  A praga é tanta que impossibilita as pessoas de usarem a calçada. Quando chegam ao local, elas têm de descer da calçada e andar pela rua, dividindo espaço com os veículos.

Foto: Glaudson Rodrigues/Últimas Notícias

Ao Últimas Notícias a Secretaria de Gestão Ambiental informou que a manutenção das árvores é feita no inverno, pois “é a época mais propícia para seu crescimento e disseminação da planta. As árvores em estágio leve a médio de contaminação são podadas, excetuando-se as que não têm mais condição de remediação, sendo substituídas. Contudo, sabe-se que contaminação acontece também em espécies cultivadas em propriedades particulares, pois cada morador deve checar a presença dessas plantas no seu jardim e fazer a poda, devidamente licenciada.

Denúncias para inspeção podem ser agendadas na Secretaria Municipal de Gestão Ambiental de Formiga, em formulário próprio. Informações podem ser obtidas pelo telefone 3329 1803”.

 

Imprimir
Comentários