Cumprindo o que havia sido planejado, em torno de mil guardas municipais de Belo Horizonte entraram em greve e fazem uma nova manifestação na manhã desta quinta-feira (25). O grupo está reunido em frente à sede do órgão, que é localizada na avenida dos Andradas, no centro da capital mineira.
O previsto é que os protestantes façam uma passeata durante a tarde. ?Pretendemos caminhar até a rodoviária, Praça Sete e a Prefeitura de Belo Horizonte?, diz o presidente do Sindicato dos Guardas Municipais do Estado (Sindiguardas-MG), Pedro Ivo Bueno.
Segundo o presidente do sindicato, a categoria ainda não foi procurada pela PBH.
Essa é a segunda manifestação que os guardas municipais fazem esta semana. Na última segunda-feira (22), os servidores públicos que atuam no trânsito da capital mineira fizeram uma passeata, que tumultuou o trânsito do centro de Belo Horizonte, também em frente à sede do órgão. Durante assembleia no fim do mesmo dia, a categoria decidiu que iria entrar em greve geral nesta quinta.
Os guardas municipais de BH exigem aumento de 25,6% no salário-base, 25% de gratificação por disponibilidade integral, além de pagamento do adicional de risco e da elevação do vale-lanche diário, atualmente de R$ 1,50, para R$ 6.
Por meio de nota, a Prefeitura de Belo Horizonte informou que, entre 2007 e 2012, foi concedido um reajuste de 83,75% para os guardas municipais. No entanto, de acordo com o presidente do Sindicato dos Guardas Municipais do Estado (Sindiguardas-MG), Pedro Ivo Bueno, desde 2009, a prefeitura não mantém negociação para reajuste salarial, e que os rendimentos da categoria estão congelados há quatro anos.

print
Comentários