Diretores de empresas devem ser responsabilizados criminalmente pelo suicídios de funcionários que alegaram excesso de pressão e assédio no ambiente de trabalho como motivos para se matar?

Essa é a pergunta que a Justiça francesa terá que responder no julgamento de sete ex-executivos da France Télécom acusados de assédio moral, num caso que levou ao suicídio de 35 funcionários da empresa entre 2008 e 2009. Após dois meses de oitivas de testemunhas e acusados, a França agora aguarda a sentença.

Segundo informa a BBC, em matéria publicada pelo portal G1, a decisão pode abrir precedentes no país e gerar uma discussão internacional sobre o assunto.

Cartas de suicídio

Em vários casos, as vítimas claramente culparam a empresa pelo seu desespero e opção pelo suicídio. Num e-mail de despedida ao pai, uma mulher de 32 anos disse que não queria trabalhar com o novo chefe. Ela se jogou do quinto andar do prédio corporativo, na frente dos colegas de trabalho.

Antes de se matar, um homem de 51 anos de Marselha deixou uma nota de suicídio acusando seus chefes de “gerir pelo terror”. “Eu estou me matando por causa do meu trabalho na France Télécom”, escreveu. “É o único motivo”.

Vários funcionários da empresa France Telecom-Orange se mataram e a Justiça decidiu que os chefes deles devem ir ao banco dos réus. Sentença deve sair em breve — Foto: Getty Images

Vários funcionários da empresa France Telecom-Orange se mataram e a Justiça decidiu que os chefes deles devem ir ao banco dos réus. Sentença deve sair em breve — Foto: Getty Images

 

Fonte: G1||https://g1.globo.com/economia/concursos-e-emprego/noticia/2019/07/12/em-julgamento-historico-executivos-na-franca-respondem-por-suicidio-de-35-funcionarios.ghtml

Imprimir

Comentários