Em Portugal, onde a imunização pela vacinação já chegou a 85% da população (a mais alta do mundo depois da ilha de Gibraltar), acabaram, nesta sexta-feira (1º) quase todas as restrições para a prevenção da Covid-19.

O uso da máscara não é mais obrigatório na maioria dos espaços, mas onde há muita gente que pode enfrentar uma infecção grave de Covid-19, como asilos de idoso e hospitais, ainda é preciso mantê-la.

Durante as aulas nas escolas e, mesmo durante os recreios, recomenda-se que as crianças usem máscaras se houver aglomeração. Em lojas com mais de 400 metros quadrados o uso de máscara ainda é obrigatório.

Os bares e boates podem reabrir a partir do dia 1º de outubro sem que os clientes precisem apresentar certificado ou de teste negativo de coronavírus. Até esta sexta-feira, os estabelecimentos precisavam fechar, no máximo, às 2h. Agora, cada um decide em qual horário irá terminar as atividades.

Quatro mortes por dia

Houve uma queda rápida no número de casos diários de Covid-19 e também de mortes.

Nessa quinta-feira (30), foram registradas quatro mortes em decorrência da Covid-19 no país, de acordo o jornal “Público”.

Segundo o jornal “Washignton Post”, a taxa de mortes em Portugal é cerca de metade da taxa média da União Europeia. Em uma reportagem, afirma-se que na cidade de Lisboa os bares e festas voltaram.

Ainda há casos de Covid-19, e considera-se que ainda há risco, mesmo com uma pequena quantidade de pessoas não-vacinadas.

O maior medo é que no inverno as pessoas mais idosas enfrentem uma nova onda de infecções —nem todos os vacinados desenvolvem anticorpos. Pesquisas feitas entre aqueles vacinados deram resultados que são motivo para precaução.

Fonte: G1

print
Comentários