Em cerimônia realizada nas dependências do Fórum Magalhães Pinto, na noite de quarta-feira (27), o juiz de direito titular da Vara da Infância e da Juventude, Richard Fernando da Silva, empossou os novos membros do Comissariado de Menores, do Conselho Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) e da Associação Civil – Projeto Leitura Liberta.
O juiz Richard da Silva destacou a importância da criação do Conselho Municipal de Direitos da Criança e Adolescente e, consequentemente, o cumprimento da missão constitucional estabelecida no caput do artigo 227, da Constituição Brasileira.
O conselho atual tem em seu quadro membros de entidades civis e do poder público, tendo sido reempossada como presidente Elizabeth Silveira Castro Baptista de Souza.
Dentre comissários de menores designados para o exercício desse serviço público, estão bacharéis em direito, em psicologia e em história, militar da reserva e autoridades eclesiásticas, tendo como presidente José Lopes do Couto Filho.
Em ambos os casos, Richard da Silva destacou o trabalho árduo que eles terão pela frente, devido ao momento delicado em que atravessa a adolescência formiguense, lembrando a todos que terão de ser criados instrumentos efetivos de controle da criança e do adolescente no meio social em que se desenvolve, com o apoio incondicional da comunidade formiguense, sendo esta a única beneficiada com o êxito dos novos empossados do Comissariado de Menores do município.
Não menos importante, o Conselho Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente, que tem por finalidade avaliar todos os programas governamentais e não governamentais voltados para as crianças e adolescentes formiguenses, buscando soluções práticas para problemas aparentemente intransponíveis. Os membros do conselho empossados sabem que a primeira proposta de solução dos problemas infanto-juvenis é o apoio de toda a sociedade em prol da criança e do adolescente.
Durante o evento, foi empossada também a nova presidente da Associação Civil – Projeto Leitura Liberta, Gislaine Orício Dias Cunha. O projeto Leitura Liberta incentiva a leitura pelos condenados que cumprem pena na Penitenciária Regional de Formiga. O projeto tem como objetivo criar novos valores capazes de evitar a reincidência ao crime, acelerando, dessa forma, o cumprimento da pena. A cada 18 horas de leitura é descontado um dia de pena.
A cerimônia contou ainda com a participação especial de músicos e da aluna da Escola Municipal de Música Eunézimo Lima (Emmel), Mireli Luzia da Silva Telles, e também do músico formiguense Rodrigo Arantes (Rodrigo Monstro).

Imprimir
Comentários