Duas empresas do Centro-Oeste de Minas são reconhecidas pelo Ministério da Justiça pelo apoio dado à ressocialização de detentos no Estado. O Selo Nacional de Responsabilidade Social pelo Trabalho no Sistema Prisional (Resgata) foi concedido a uma   empresa  em Formiga e uma  Nova Serrana . Em Minas Gerais, 31 empresas receberam a distinção.

A certificação foi entregue no dia 26 de abril em cerimônia realizada no Palácio do Planalto, em Brasília.  A seleção foi feita pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen), do Ministério da Justiça, e, segundo o órgão, o selo é uma forma de reconhecimento às instituições que utilizam mão de obra originária do sistema prisional.

De acordo com a Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap), um em cada três presos trabalha em Minas por meio de parceria com 370 empresas, entre privadas e ligadas ao poder público, como prefeituras e autarquias.

Foto: Agência Minas

Em Formiga a empresa premiada atua no setor alimentício. Os detentos que estão no regime semiaberto atuam no ensacamento de laranjas.  A empresa se localiza a 400 metros da Penitenciária.  Por causa do projeto de reintegração social, a empresa recebeu o direito de usar o selo “Resgata” na embalagem do produto.

Em Nova Serrana, por exemplo, a empresa premiada é do setor calçadista e há três anos mantém um galpão junto ao presídio da cidade.

Pelo local, mais de 250 pessoas já passaram, trabalhando no corte e na colagem de solas de sapatos que seguem para a fábrica. Atualmente, 12 detentos prestam serviço no galpão.

Segundo o Depen, os presos passam por um processo seletivo dentro do presídio para integrarem o projeto de ressocialização.

Uma avaliação é feita por enfermeiros, assistentes sociais, psicólogos e agentes de segurança. Além de uma ajuda de custo de acordo com a produção, os detentos também recebem um dia a menos na pena a cada três dias trabalhados.

 

Fonte: Com informações do G1||

Imprimir

Comentários