As estrias incomodam principalmente as mulheres, em lugares como barriga, seios, bumbum e coxas. As mais recentes são vermelhas, que se tornam brancas com o passar do tempo. Por isso, os tratamentos para amenizar o problema são mais indicados nessa primeira fase.
Segundo uma pesquisa da Sociedade Brasileira de Dermatologia, as estrias incomodam 62,5% das integrantes do sexo feminino, e a celulite é o pavor de 62,4%. Mas as duas situações não vem juntas e são causadas por fatores diferentes.
De acordo com o endocrinologista Daniel Lerário, o grande vilão das estrias é o efeito sanfona, ou seja, emagrecer e engordar com frequência. Com essa oscilação de peso, as fibras de colágeno na derme, camada mais profunda da pele, se rompem e acabam ficando evidentes.
Para evitar esse incômodo, o médico sugeriu subir à balança duas vezes por semana, diminuir a ingestão de gorduras e frituras, fazer atividade física e moderar a comilança em viagens e férias.
Já a dermatologista Márcia Purceli ressalta sobre tratamentos estéticos contra estrias, como carboxiterapia e microdermoabrasão. Com os tratamentos, as fibras de colágeno são estimuladas e voltam a ser produzidas. Porém, as fibras elásticas não se refazem. Por esse motivo, as estrias jamais desaparecem por completo.
O maquiador Edson Franzino explica como disfarçar essas imperfeições na pele de duas convidadas. É possível cobrir as estrias com maquiagem corretiva, como base líquida, corretivo de bastão e pó compacto. Se as depressões no corpo forem muito vermelhas, é preciso camuflar usando primeiro um corretivo verde e depois aplicar uma base da cor da pele. Com o pó fixador, dá para entrar na água sem que o produto saia.
Já a estria branca pode ser disfarçada com um corretivo num tom mais escuro da pele e um pó mineral. Peles morenas são mais difíceis de serem cobertas, mas é possível usar também corretivo num tom mais escuro que a pele e um pó com efeito bronzeado. Algumas marcas contêm bases corporais, que são outra boa opção para cobrir as estrias.
Nas jovens, as estrias surgem mais na área lombar e nas coxas. Nas grávidas, ocorrem na frente e nas laterais da barriga, nas mamas e nas coxas. Nos obesos, são mais frequentes nas pregas axilares, nádegas, coxas e região posterior dos joelhos.

print
Comentários