A Escola Municipal Franklin de Carvalho realizou na sexta-feira (17) uma celebração para comemorar o Dia Nacional do Livro Infantil, celerado no sábado (18) e a abertura do projeto Convivência na Escola.
O evento contou com apresentação teatral, feita por alunos da escola e palestras ministradas por convidados sobre os temas celebrados.
Os palestrantes convidados foram a bibliotecária e escritora, Leiva Nunes, o presidente da Academia Foriguense de Letras (AFL) e do Clube Literário Maconi Montolli (CLMM), Paulo José de Oliveira e o acadêmico da AFL e padrinho da escola, José Pereira de Souza.
Dia Nacional do Livro Infantil
O dia 18 de abril foi instituído como o Dia Nacional da Literatura Infantil, em homenagem à Monteiro Lobato.
Monteiro Lobato foi um dos maiores autores da literatura infanto-juvenil brasileira. Nascido em Taubaté, interior de São Paulo, em 18 de abril de 1882, iniciou sua carreira escrevendo contos para jornais estudantis. Em 1904 venceu o concurso literário do Centro Acadêmicos XI de Agosto, época em que cursava a faculdade de direito.
Como viveu um período de sua vida em fazendas, seus maiores sucessos fizeram referências à vida num sítio, assim criou o Jeca Tatu, um caipira muito preguiçoso. Depois criou a história ?A Menina do Nariz Arrebitado?, que fez grande sucesso. Dando sequência a esses sucessos, montou a maior obra da literatura infanto-juvenil: O Sítio do Pica Pau Amarelo, que foi transformado em obra televisiva nos anos 80, sendo regravado no final dos anos 90.
Dentre suas obras, Monteiro Lobato resgatou a imagem do homem da roça, apresentando personagens do folclore brasileiro, como o Saci Pererê, negrinho de uma perna só; a Cuca, uma jacaré fêmea muito malvada; e outros. Também enriqueceu suas obras com obras literárias da mitologia grega, bem como com personagens do cinema (Walt Disney) e das histórias em quadrinhos.
Monteiro Lobato morreu em 4 de julho de 1948, aos 66 anos de idade, no ano de 2002 foi criada uma Lei (10.402/02) que registrou o seu nascimento como data oficial da literatura infanto-juvenil.

print
Comentários