O município de Arcos está sob sistema de rodízio de abastecimento de água desde o dia 27 de agosto, quando a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) decretou estado de emergência.

A medida foi tomada devido à falta de chuvas e a diminuição do nível das captações superficiais nos córregos das almas e dos britos que abastecem o município.

Nessa quarta-feira (12) duas escolas estaduais precisaram ser abastecidas com caminhões pipas. Segundo a Copasa, a medida está sendo realizada nas instituições de ensino e hospitais da cidade.

O decreto de emergência da companhia venceu na segunda-feira (10), mas devido a situação do córrego das almas que está com menos da metade da vazão, a medida foi estendida até o dia 25 deste mês e pode ser prorrogada.

Segundo a Copasa, a vazão normal do córrego é de 110 litros por segundo e está com apenas 42 litros por segundo. Para amenizar a situação, a companhia já colocou em operação onze poços artesianos que estão interligados à rede de água, contribuindo para o abastecimento da cidade.

IMPRIMIR

Fonte:

Portal Arcos