A Associação dos Advogados do Centro-Oeste de Minas (AACO), em Divinópolis, entregou na manhã desta quarta-feira (13), as salas do Registro de Eventos de Defesa Social (REDS), a sala dos conduzidos (cela) existentes dentro da Delegacia de Polícia e a Sala dos Advogados, espaços reformados pela associação em parceria com ACASP, OAB e empresários.

Marcaram presença na solenidade, autoridades políticas e das forças de segurança pública de Divinópolis, juízes e representantes de entidades.

Para o delegado chefe do 7º Departamento de Polícia Civil de Divinópolis, Ivan José Lopes, a Sala do Advogado é de grande importância, pois, garante à presença do profissional durante as oitivas. O delegado afirmou ainda que esse espaço deveria existir em todas as delegacias do Estado. “É muito mais do que a existência de um espaço. Representada a presença de um garantidor dos direitos humanos e um parceiro da polícia na transparência do nosso trabalho. A presença de um advogado nas oitivas representa a transparência e garante o exercício de defesa”, explicou.

De acordo com o membro da Comissão de Direito Penal e Processo Penal da AACO/MG, o advogado criminalista, Caio Martins, a Sala dos Advogados trará mais comodidade para atuação do profissional. “Entendo ser de extrema importância esse espaço, pois trará maior comodidade aos advogados uma vez que os flagrantes na delegacia podem durar várias horas e sem um local adequado para que o profissional do direito possa esperar. Com o novo espaço passará ser utilizado o parlatório projetado inicialmente pela delegacia que não estava sendo usado. O uso do parlatório traz maior privacidade para advogado e cliente”, disse.

Segundo o Comandante da 7ª Região da Polícia Militar de Minas Gerais, Coronel Helbert William Carvalhaes, agora a sala do REDS e a sala dos conduzidos possui uma estrutura mais adequada para o trabalho.

“Tínhamos apenas um computador funcionando, não havia mesa e nem cadeiras adequadas. Não possuíamos uma estrutura adequada. Agora temos melhor condição para poder trabalhar. Não é somente um espaço para a polícia militar, mas para todos que acompanha a realização de um boletim de ocorrência, sejam os policiais, as vitimas, agora com melhor atendido, se sentiram mais tranquilo para traduzir as questões acerca do problema que foi verificado. Agora temos condições de desenvolver com mais agilidade a elaboração dos boletins de ocorrência”, relatou o comandante.

 

Fonte: Comunicação AACO||

print

Comentários