O fim do ano se aproxima e com ele o verão. A dermatologista Márcia Purceli explica a quanto tempo se deve repassar o filtro solar, a diferença entre os raios solares UVA e UVB e por que as sardas aparecem. Além disso, a especialista ressalta sobre a importância de usar o protetor mesmo sob a luz artificial e como aplicar o autobronzeador em casa.
O filtro solar ajuda a evitar o aparecimento de manchas e câncer de pele. Todas as pessoas, de cor clara ou morena, têm que usar diariamente o produto, que bloqueia o sol e, por essa razão, impede que o que hoje é vermelho se torne marrom no futuro.
Segundo Márcia Purceli, alguns produtos cosméticos ? como batons, bases e xampus ?, bonés e roupas já são fabricados com protetor solar. E, antes de passar o filtro, é ideal aplicar um hidratante. Nos dois casos, deve-se buscar um específico para o rosto e outro para o corpo.
Além do sol, a luz das lâmpadas estimula a produção de melanina, proteína responsável pelas manchas. Portanto, é fundamental usar o protetor mesmo em ambientes fechados.
O filtro solar pode ser físico ou químico (também chamado de orgânico). O primeiro é composto por óxido de titânio e/ou óxido de zinco e tem como função refletir o sol. Causa menos alergia, porque não penetra na pele. Já o segundo é feito de moléculas orgânicas e absorve os raios solares.
Antes de usar um autobronzeador, a pele deve ser esfoliada, principalmente nas áreas mais grossas, como cotovelos, joelhos e calcanhares.
Isso pode ser feito em casa, com açúcar e água. Podem-se usar quatro colheres de sopa de água em temperatura ambiente e quatro de sobremesa de açúcar, ou a quantidade suficiente para formar uma papa.
Também podem ser acrescentadas quatro gotas de óleo de amêndoa ou semente de uva, que ajudam na hidratação. Além disso, depois da esfoliação é importante hidratar bem a pele com creme.

Imprimir
Comentários