A situação geral é a seguinte: de um lado, vagas disponíveis e do outro trabalhadores em busca de oportunidade. A equação no mercado de trabalho nunca fecha e o motivo é a falta de qualificação profissional. Os especialistas alertam: as empresas estão cada vez mais exigentes.
Com o ?boom? da construção civil no país o setor ficou carente de profissionais qualificados. São justamente os profissionais com formação técnica os mais procurados. O que comprova essa necessidade foi o aumento da quantidade de cadeiras nas instituições públicas de ensino. Em 2009, enquanto nas universidades o número de vagas passou de 109 mil para 122 mil, nas escolas técnicas saltou de 170 mil para 524 mil. Uma expansão de 320% para atender a demanda do mercado.
De acordo com o Ministério do Trabalho e Emprego, além da construção civil, faltam profissionais capacitados nas seguintes áreas: turismo e hotelaria; serviços, como cozinheiras e garçons; administrativa, comercial e negócios; e análise técnica.
A qualificação profissional está ao alcance de quem se interessar. Em 2009, 200 mil mineiros se capacitaram por meio dos cursos do Senac. Em diversos municípios, são oferecidas aulas de formação básica, de nível técnico, superior e pós-graduação. Alguns cursos são de graça, como o de auxiliar administrativo.
O analista Luciano Pimenta ressalta que, nos próximos anos, a procura por excelentes profissionais vai se intensificar com a proximidade dos eventos esportivos internacionais. E destaca que, além dos conhecimentos técnicos, outras habilidades são fundamentais para garantir uma vaga no competitivo mercado de trabalho.

Em Formiga, assim como em diversos municípios, também há diversas vagas no Sine que, há um bom tempo estão sendo divulgadas, porém muitas das oportunidades de trabalho não foram preenchidas por falta de qualificação.

print
Comentários