A estação espacial chinesa Tiangong-1 caiu no sul do Oceano Pacífico às 21h16 desse domingo (1º), no horário de Brasília, de acordo com comunicado do governo da China.

Segundo a agência de notícias estatal Xinhua, a nave foi praticamente toda consumida pelas chamas ao entrar na atmosfera da Terra. A informação também foi confirmada por um órgão do Comando Estratégico do Departamento de Defesa dos Estados Unidos.

Foto: Instituto alemão Fraunhoffer

Utilizada como um laboratório de pesquisas no espaço, a estação de cerca de 8,5 toneladas e 12 metros de comprimento – aproximadamente o tamanho de um ônibus – estava completamente fora de controle desde 2016, quando a Agência Espacial Chinesa perdeu a comunicação com ela.

Antes de cair, a estação viajava a cerca de 26 mil quilômetros por hora, completando uma volta em torno da Terra a cada uma hora e meia.

Lançada em 2011 como parte de um plano do governo da China para transformar o país em uma superpotência espacial, a estação realizou três missões – duas delas tripuladas – e deveria ter sido derrubada de forma segura em 2013, mas continuou em operação até 2016, quando a China admitiu a perda de controle. Na época, a previsão era de que a queda ocorreria entre março e abril de 2018, mas não era possível determinar o local.

IMPRIMIR

Fonte:

Estado de Minas