Um homem de 30 anos foi detido na quinta-feira após tentar aplicar um golpe em um banco no campus Pampulha da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em Belo Horizonte. A Polícia Militar foi acionada depois que um funcionário desconfiou que ele estava usando documentos falsos. Na casa dele, foram apreendidos outros papéis, 50 cartões bancários, dinheiro e alguns produtos de origem suspeita. 

Segundo a PM, o gerente do banco contou que o homem entrou na unidade e apresentou a carteira de identidade informando que precisava fazer o desbloqueio e movimentação de uma conta. Por meio de monitoramento e controles internos de risco, o banco desconfiou de fraude documental e a polícia foi chamada. 

O funcionário contou que, em data anterior, o mesmo homem abriu três contas bancárias –  sendo duas digitais e uma presencial, usando dois nomes diferentes. Uma das contas digitais deu um prejuízo superior a R$ 3 mil ao banco. Ao chegar à agência, ele se apresentou com um terceiro nome. 

Diante do ocorrido, os militares foram com o suspeito até a casa dele, onde a mãe permitiu a entrada e revelou o nome verdadeiro do filho. No quarto dele, além dos cartões e do dinheiro em espécie, a polícia apreendeu uma máquina leitora de cartões bancários, um aparelho de interfone, caixa de som, fones de ouvido, uma lata de massa corrida, talões e folhas de cheque, 17 cuecas novas e uma pasta com diversos papéis. A polícia também recolheu com ele cinco carteiras de identidade. 

Consta no boletim de ocorrência que ele assumiu ter cometido os crimes que atingiram instituições financeiras e comerciais e foi levado a uma unidade da Central de Flagrantes da Polícia Civil (Ceflan). De acordo com a Polícia Civil, ele foi autuado em flagrante por estelionato e uso de documento falso, e já foi encaminhado ao sistema prisional. 

 

 

 

Fonte: Estado de Minas||

print

Comentários