Na virada de ano, a combinação entre viagens e o alto número de acidentes faz com que os estoques de sangue do Hemominas baixem. Mas na virada de 2019 para 2020, a queda foi maior do que o esperado. A quantidade de sangue disponível está 30% menor e o estoque para alguns tipos sanguíneos está em nível de alerta.

O problema maior, de acordo com o órgão, não foi a queda das doações, mas a demanda acentuada. No Natal de 2019, a procura por sangue subiu cerca de 55% com relação ao restante do mês de dezembro. Por isso, as equipes médicas fazem um apelo para doações.

A gerente de captação e cadastro do Hemominas, Viviane Guerra, diz que os fatores negativos são os que mais demandam atenção e procura, já que são os com menor prevalência da população. O estoque esá em alerta nos tipos O, A, B e AB negativos.

“O tipo O negativo, que é doador universal, é o que a gente mais precisa. Os positivos não estão em nível crítico, mas a gente reforça que é necessária a doação para qualquer tipo sanguíneo. Você que viajou no fim do ano, aproveite agora o retorno do descanso e doe”, sugere a gerente.

Desafios
Apesar do estado crítico, o Hemominas pede que as pessoas doem em qualquer época do ano. Guerra lembra que, por ser material orgânico essencial para o procedimento clínico, o sangue tem prazo de validade.

“A gente precisa ter doação de sangue regular, não apenas em uma época do ano. Uma bolsa concentrada de hemácias, que é aquela parte vermelha, dura de 35 a 42 dias. As plaquetas, que são usadas para quem tem problema de circulação ou leucemia, duram apenas cinco dias”, explicou.

Os principais critérios para doação, de acordo com a gerente, são ter entre 16 e 69 anos, mais de 50 kg e não ter tido hepatite a partir dos 12 anos. As doações podem ser agendadas pela página do Hemominas na internet ou pelo aplicativo MGapp.

Principais critérios para doação

Ter idade entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos (menores de 18 anos devem possuir consentimento formal do responsável legal);
Pesar no mínimo 50kg;
Estar alimentado;
Não ingerir alimentos gordurosos antes da doação;
Ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas;
Apresentar documento de identificação com foto emitido por órgão oficial (carteira de identidade, carteira nacional de habilitação, carteira de trabalho, passaporte, registro nacional de estrangeiro, certificado de reservista e carteira profissional emitida por classe).
Ter passado por um quadro de hepatite após 11 anos de idade;
Evidência clínica ou laboratorial das seguintes doenças transmissíveis pelo sangue: hepatites B e C, Aids (vírus HIV), doenças associadas aos vírus HTLV 1 e 2 e Doença de Chagas;
Uso de drogas ilícitas injetáveis;
Intervalo entre uma doação e outra
Homens: 2 meses (máximo de 4 doações no período de 1 ano);
Mulheres: 3 meses (máxima de 3 doações no período de 1 ano).

 

Fonte: Hoje em Dia ||
Imprimir
Comentários