As três rodovias federais que levam aos destinos preferidos dos mineiros nas férias também são as campeãs de acidentes, mortes e feridos. As BRs 040, 381 e 116, que ligam Minas a Rio de Janeiro, Bahia, Espírito Santo e São Paulo, respectivamente, concentram mais de 60% de todas as ocorrências registradas no Estado. 

Por essas vias passam milhares de veículos por dia. São as mais movimentadas, o que explica a quantidade de acidentes, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF). “É proporcional com o alto fluxo de tráfego”, frisou o inspetor Aristides Júnior, chefe da Comunicação da corporação.

A proximidade das festas de Natal e Ano Novo requer cuidado redobrado. A tendência é que o número de carros e caminhões aumente já no próximo sábado. O risco de tragédias também cresce.

Segundo Aristides Júnior, da PRF, a operação especial de fim de ano será deflagrada nos próximos dias, com o reforço de policiais rodoviários nas estradas. “Será em todas as 17 rodovias federais que cortam o Estado. Não vamos priorizar uma”. 

Atenção

Fiscalização reforçada e punição mais rigorosa é o que defende o engenheiro e consultor em transporte e trânsito Osias Baptista Neto dentre as estratégias para frear acidentes nas três rodovias. O especialista acredita ser necessário aumentar a quantidade de radares de excesso de velocidade nos trechos que lideram as ocorrências. “Infelizmente, muitas pessoas só dirigem com cautela se estiverem sendo observadas”.

Além da vigilância eletrônica, mais blitze, completa Osias Baptista. “É fundamental conferir o estado de conservação dos veículos. Nesse período do ano, em que muito mais motoristas pegam a estrada, é comum observar carros circulando em condições precárias, com pneus e amortecedores desgastados, por exemplo. Para evitar tragédia, é preciso conferir a saúde dos veículos”, alerta o engenheiro.

Coordenador do SOS Estradas, Rodolfo Rizzotto ressalta que muitos condutores cometem infrações por terem a certeza da impunidade. “É preciso apertar a fiscalização porque estamos falando de seres humanos que estão morrendo, pessoas com nomes, sobrenomes e famílias que estão sendo dilaceradas”, ponderou.

Radares reativados

A União ganhou prazo de uma semana para reativar os radares móveis nas rodovias federais do país. De acordo com a Justiça, os equipamentos, suspensos desde agostopor força de portaria do governo, devem estar funcionando já na próxima segunda-feira. Em Minas, são 22 aparelhos. Em nota, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou ontem ter sido notificada sobre a decisão do juiz Marcelo Gentil Monteiro, da 1ª Vara da Seção Judiciária do Distrito Federal. A corporação garantiu estar tomando as medidas para cumprir a determinação.

Na última quarta-feira, o magistrado havia dado prazo de 72 horas para que a fiscalização nas rodovias federais por meio de radares móveis fosse reativada. Porém, a Advocacia-Geral da União (AGU) recorreu baseada em parecer da PRF que considerava uma “providência complexa” a retomada da fiscalização.

Para especialistas, seria fundamental que os medidores entrassem em operação ainda nesta semana, vez que, a partir de sábado, o movimento nas rodovias aumentará por conta das festas de Natal e Ano-Novo. Somente nos três feriados prolongados deste ano (Carnaval, Semana Santa e Corpus Christi), os aparelhos registraram 21.174 autuações por excesso de velocidade.

Coordenador do SOS Estradas, Rodolfo Rizzotto até faz previsão pessimista. Segundo ele, esse Natal tende a ser o mais violento dos últimos tempos justamente pela falta dos equipamentos. “Desde que foram desligados, o número de acidentes e mortes aumentou significativamente. E, sem eles, os índices apontam para essa direção.

“Radar móvel é muito importante. Dá ao motorista a sensação de que está sendo fiscalizado em qualquer lugar”, observou o engenheiro de trânsito Osias Baptista.Editoria de Arte

Estradas
-Imagem – Editoria de Arte Hoje em Dia

 

Fonte: Matéria do Hoje em Dia||https://www.hojeemdia.com.br/horizontes/estradas-que-ligam-os-mineiros-a-seus-destinos-preferidos-para-descanso-concentram-60-dos-acidentes-1.762506
Imprimir
Comentários