A economia dos Estados Unidos perdeu 2,6 milhões de empregos em 2008, de acordo com dados divulgados nesta sexta-feira (9) pelo Departamento de Trabalho do país. É a maior taxa desde 1945. Cerca de 1,9 milhão dessas vagas foram eliminadas nos quatro últimos meses do ano, informa o governo.
No mês de dezembro, a economia americana perdeu 524 mil empregos, chegando a uma taxa de desemprego de 7,2%, a maior desde janeiro de 1993, segundo os dados corrigidos das variações sazonais.
Os cortes líquidos de empregos do mês de dezembro correspondem às previsões dos analistas, de 525 mil postos. A taxa de desemprego, no entanto, foi superior à expectativa, que era de 7%. O ministério revisou em forte alta o número de empregos perdidos em novembro, para 584.000 (em vez dos 533.000 anunciados anteriormente).
Muitos economistas acreditam que o desemprego, que era de 5% em abril do ano passado, atingirá 8% nos próximos meses. A última ata do Federal Reserve (Fed, banco central americano), divulgada na terça-feira, mostrou que sua equipe de economistas espera que essa taxa suba significativamente até 2010.
O salário médio por hora trabalhada nos Estados Unidos aumentou US$ 0,05, ou 0,3%, para US$ 18,36. Em relação ao mesmo período do ano anterior, o aumento é de 3,7%. O número de horas trabalhadas por semana, em média, caiu em 0,2 para 33,3 horas. As informações são da Dow Jones.

print
Comentários