O agora ex-secretário de Saúde de Minas Gerais Carlos Eduardo Amaral ofereceu as primeiras doses da Coronavac que chegaram ao Estado ao governador Romeu Zema (Novo) e aos secretários que integram o primeiro escalão do governo. A informação foi confirmada por diversas pessoas do governo à reportagem do portal O Tempo sob condição de anonimato. 

Inicialmente, Romeu Zema rejeitou ser imunizado e sugeriu que os secretários também não aceitassem receber as vacinas oferecidas por Carlos Amaral. A ideia do governador, naquele momento, é de que não seria correto usar do cargo para ter o benefício da imunização. 

A sugestão do chefe do Executivo não foi acatada pelo menos pelo então comandante da pasta da Saúde. Nesta semana, durante participação na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Carlos Amaral disse que foi vacinado para “dar o exemplo” à população mineira. 

O ex-secretário ofereceu as doses ao governador e aos outros 11 secretários em meados de janeiro, quando o Estado recebeu as primeiras doses de vacinas contra o coronavírus. À época, desembarcaram no Aeroporto Internacional de Confins pouco mais de 570 mil doses do imunizante, o suficiente para vacinar, sem desvios, cerca de 280 mil mineiros. 

Na Cidade Administrativa, o assunto é sigiloso entre as secretarias. Todas negam a falar do caso, enquanto os secretários têm preferido o silêncio. Nos bastidores, há conversas de que alguns responsáveis por pastas do Executivo temem a divulgação da lista de vacinados pela Assembleia Legislativa. 

Nesta semana, o governador Romeu Zema voltou a falar que não foi vacinado junto aos “fura-filas” e que vai esperar a sua vez.

Em nota, a assessoria de imprensa do governo de Minas reafirma que Zema não foi vacinado e aguardará sua vez na fila.

“Quando houve a chegada da primeira leva de vacinas, o governador determinou que todo o processo de vacinação contra a Covid-19 seguisse a ordem de prioridade estabelecida pelo Plano Nacional de Imunização”, diz trecho da nota, que complementa garantindo que nenhum outro secretário foi imunizado. O documento, por sua vez, não nega que as primeiras doses da vacina foram oferecidas pelo ex-secretário ao primeiro escalão do Executivo.

Veja na íntegra a nota enviada pelo governo:

O governador Romeu Zema não foi vacinado. Ele continuará aguardando a sua vez na fila de vacinação. Quando houve a chegada da primeira leva de vacinas, o governador determinou que todo o processo de vacinação contra a Covid-19 seguisse a ordem de prioridade estabelecida pelo Plano Nacional de Imunização. Informamos ainda que nenhum outro secretário de Estado de Minas Gerais, além do então secretário de Saúde Carlos Eduardo Amaral, tomou a vacina.

Fonte: O Tempo Online

print
Comentários