Na tarde de quarta-feira (18), uma equipe de reportagem da TV Alterosa, de Divinópolis, esteve em Formiga para gravar entrevista com o secretário de Gestão Ambiental, Paulo Coelho, e com o presidente da Câmara Municipal, Reginaldo Henrique dos Santos (Dr. Reginald/PCdoB), sobre o problema que o município enfrenta com a linha férrea que corta a cidade.
O assunto tornou-se uma das principais pautas de discussões, pois, a linha férrea hoje pertence à Companhia Vale do Rio Doce, uma das mais ricas do mundo, e tem trazido prejuízos para o município. Existem em Formiga 14 cruzamentos de nível, que exigem o emprego de aproximadamente 60 guariteiros, além de fiscais e chefes de turma o que onera o município com o pagamento desses servidores.
Durante a entrevista, o secretário Paulo Coelho ressaltou que os guariteiros são pagos com recursos da Prefeitura, são cerca de R$50 mil por mês, sendo que o município não tem qualquer compensação por parte da ferrovia, do contrário, a administração está até sofrendo multas trabalhistas.
O município precisa parar de ficar financiando a Vale do Rio Doce, pagando operários, onerando a folha de pagamento e deixando de fazer o que é obrigação do município, que é manter ruas e lotes limpos e capinados, cuidar dos rios e córregos, declarou o secretário, completando que os funcionários estão em desvio de função.
Paulo Coelho falou que existe a intenção por parte dos poderes públicos de impedir a passagem dos trens, caso a Vale do Rio Doce não atenda aos anseios do município. Pelo menos se ela [Vale] não quer contratar, que ela faça convênio com os municípios. É uma situação esdrúxula. Se dependesse de mim, eu retirava o pessoal daqui [das guaritas] da noite para o dia e colocava aqui uns dois ou três caminhões de pedra para impedir o trânsito, até resolver o problema deles.
Dr. Reginaldo disse que o Executivo e o Legislativo, juntos, tentaram a via diplomática, se reuniram com representantes da Vale, entretanto, eles não se manifestaram após o encontro e desmarcaram a reunião que estava agendada para ocorrer em Formiga, no dia 5 deste mês. Eles não deram atenção à nossas solicitações. Como as vias diplomáticas estão complicadas, vamos tentar uma ação via Ministério Público. Acho uma incoerência o município ficar gastando dinheiro, que não tem, para financiar uma das empresas mais ricas do mundo. Denunciamos isso no Ministério Público e, paralelo a isso, já existe a possibilidade de medidas mais radicais, que é a de interditar a linha férrea dentro do município de Formiga, concluiu.
O guariteiro Moisés Oliveira também foi entrevistado pela reportagem da TV Alterosa. Ele é concursado de serviços gerais e, há seis anos, foi desviado para a função de guariteiro. Assim como ele, existem diversos outros funcionários da Prefeitura.

Imprimir
Comentários