Nesta terça-feira (6), teve início no Museu Municipal Francisco Fonseca a exposição fotográfica Ângulos Cotidianos ainda Contemporâneos, do fotógrafo Sebastião Salgado. A mostra é uma parceria da Secretaria Municipal de Cultura, Associação Amigos da Cultura da Cidade de Formiga (AACCF) e Sindicato dos Trabalhadores em Serviço de Saúde de Formiga (STSSF), e ficará em Formiga, até o dia 25 deste mês.
A exposição é composta de um acervo de 30 quadros fotográficos, que retratam de forma marcante e reflexiva parte do cotidiano contemporâneo do trabalhador e suas realidades. As obras remetem à critica de realidades cotidianas em que o humanismo, a dignidade da pessoa e seus direitos básicos são violentados.
De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Serviços de Saúde de Formiga, Paulo José de Oliveira, a exposição tem como objetivo mostrar o público uma visão de flagrantes da vida real de trabalhadores por meio de obras fotográficas. O sindicato quer mostrar, através das imagens, a luta da entidade, da classe, e nós temos o interesse em difundir a situação social caótica tentando levar a sociedade a refletir para mudanças de atitudes, comentou o presidente.
A exposição ficará no Museu Municipal Francisco Fonseca (Antiga Estação Ferroviária), de terça à sexta-feira, das 8h às 17h; sábados, domingos e feriados das 9h às 13h. Escolas e instituições deverão agendar os horários de suas visitas pelo telefone 3322-5770.
O fotógrafo
Sebastião Salgado abraçou o universo da fotografia aos 29 anos e, em pouco tempo, se tornou o mais prestigiado fotógrafo da atualidade. Fotografando sempre em branco e preto e principalmente reportagens sobre a condição humana e a social.
Mineiro, é o único homem entre nove irmãs. Formado em economia em Vitória (ES) e, pós-graduado na Universidade de São Paulo (USP), durante a ditadura militar, foi obrigado a exilar-se, indo morar, em 1969, em Paris. Na capital francesa, doutorou-se em economia, em 1971.
Em 1973, iniciou a vida como fotojornalista. De 1979 a 1994, dedicou-se a vários projetos, entre os quais a cobertura da guerra de Angola, o sequestro de israelenses em Entebe e o atentado ao presidente Ronald Reagan, dos EUA.
Viajando pela América do Sul, captou imagens que resultaram na exposição e no livro Outras Américas, em 1986. Em 1993, dedicou-se a um projeto sobre a extinção do trabalho manual, em 26 países, do qual resultou o álbum Trabalhadores.
Sebastião Salgado fundou sua própria agência, a Amazonas Images, em 1994, e realizou diversas viagens para documentar populações marginalizadas de 41 países. As imagens desse projeto foram reunidas na exposição Êxodos, em 2000.
Sebastião Salgado é um fotógrafo reconhecido internacionalmente e já recebeu os principais prêmios de fotografia do mundo. Vive em Paris, casado com Lélia, e tem dois filhos, Juliano e Rodrigo.

print
Comentários