Infantilidades
Na reunião do Legislativo desta semana, Moacir Ribeiro disse que o prefeito Aluísio Veloso toma atitudes muito infantis, coisa que ele não é. O edil se referiu aos R$800 mil que a Câmara aprovou para a Secretaria de Saúde e em seguida, mais R$460. Desse total, Moacir disse que a Prefeitura não gastou nem 10 centavos de investimentos na saúde. Ainda de acordo com o vereador, em outras épocas, os prefeitos iam até Belo Horizonte mendigar, com pires na mão, R$20 mil, R$30mil e que agora as verbas vêm no montante de R$5 milhões, R$10 milhões.
Lei da Ficha Limpa aguarda numeração
Eugênio Vilela cobrou do Gabinete do prefeito o encaminhamento rápido, para a Câmara, do número da Lei, derivado do projeto de lei da Ficha Limpa, aprovado em setembro do ano passado pelo Legislativo. O projeto de autoria do vereador destaca a proibição da nomeação em cargos de confiança, tanto no Legislativo quanto no Executivo, dos ?ficha sujas?. Eugênio Vilela perguntou o que estava acontecendo e se o prefeito estava querendo proteger alguém de ficha suja empregado na Prefeitura, pois até então a Câmara não dispunha da informação ora solicitada. Quem será o incompetente que não fez o serviço? Questionou.
Contando os minutos
Mazinho falou na reunião que ficou sabendo que o prefeito está com grande desejo de instalar três relógios digitais em pontos estratégicos da cidade. O vereador concordou com a ideia e sugeriu que a população se juntasse a ele para contar os minutos e os segundos que ainda restam para que a atual administração deixe o poder.
Enxurrada no Alto da Praia
Mazinho solicitou, mais uma vez, que o prefeito visitasse o bairro Alto da Praia. O vereador disse que a raspagem que está feita no local, está ficando boa sim, mas sugeriu que fosse canalizada a enxurrada. De acordo com ele, com as chuvas, a terra solta vai descer em direção às residências que se encontram nas ruas mais abaixo, naquele bairro. Caso contrário a água entrará mais uma vez pela porta da sala de um morador e sairá pela porta da cozinha da tal residência.
Falta atendimento e sobram recursos
Em relação à saúde em Formiga, Cabo Cunha garante que está sobrando dinheiro na pasta. O vereador disse que vai cobrar melhorias por parte do Executivo, já que o Projeto de Saúde Auditiva ressalta que há excesso de arrecadação. Eugênio Vilela disse que conhece uma pessoa que está há mais de dois anos aguardando um aparelho auditivo, correndo o risco de perder a audição. Pediu que a Secretaria de Saúde agilize os atendimentos, já que são recursos públicos e pelo jeito, estão sobrando.
Ferrovia Centro Atlântica
Em relação à Ferrovia Centro Atlântica, Mauro César explicou que recebeu a sugestão de um grupo de engenheiros para que ele questionasse se existe um projeto de lei obrigando a FCA a pagar IPTU para o município; se há a obrigatoriedade do município manter as cancelas e os vigias; e de quem é a responsabilidade de manutenção das galerias de águas pluviais e da limpeza da faixa de domínio no entorno dos trilhos.
Dúvida cruel: orçamento sub ou superfaturado?
De acordo com o vereador Mauro César, o deputado Gustavo Valadares solicitou apoio ao diretor geral do DER, José Élcio Monteze para a pavimentação de uma estrada que liga a comunidade rural de Papagaios a Albertos, Cunhas e São Pedro. Na resposta, o diretor explica que o projeto encaminhado pela Prefeitura não contém dados técnicos suficientes (topografia, drenagem, sinalização, etc) para que o parecer seja emitido. José Élcio Monteze destacou ainda que o orçamento da Prefeitura é de R$3.510.946, enquanto que a estimativa do DER para a execução do serviço é de R$10.260 milhões.

Imprimir
Comentários