Falta de água I
Na segunda-feira (29), o Saae informou à imprensa e ao Legislativo sobre a falta de água em alguns bairros de Formiga. A autarquia pediu que a população economize água, evitando encher as piscinas, lavação de ruas, calçadas e de automóveis, o que, segundo a autarquia prejudica o abastecimento e ocasiona a falta de água nos bairros que se localizam nas regiões mais altas do município.
Falta de água II
Sobre o assunto, o vereador Mauro César destacou a importância de uma sincronia entre o Poder Executivo e a população sem o que, é impossível satisfazer os interesses de ambas as partes. De acordo com o edil, os habitantes da rua Sebastião Jorge Lasmar estão há mais de 30 dias sem água, o mesmo ocorrendo em vários outros bairros. Apesar disto, Mauro César reconhece o profissionalismo dos funcionários do Saae que segundo ele, têm poucas condições para executarem a contento o importante trabalho.
Falta de água III
Cabo Cunha cogitou sobre a possibilidade de se promover uma ação civil pública em relação ao assunto. Na opinião dele, as pessoas não podem sair lesadas com a falta de água já que o que faltou foi um maior investimento por parte do poder público. ?Vamos pedir uma audiência com o Ministério Público. Vamos ingressar na Justiça e pedimos que todas as associações de bairros nos procurem?. No mesmo dia, deu entrada no Legislativo um projeto de lei que autoriza a permuta de imóveis com o objetivo é a construção de um reservatório de água potável, com capacidade de 500 mil litros, para o abastecimento na região dos bairros Novo Horizonte, Bela Vista, Água Vermelha e Nova Conquista.
Valores gastos no trânsito
Mauro César falou mais uma vez sobre as mudanças no trânsito em Formiga. O vereador reclamou do sinal colocado em frente a Escola Rodolfo Almeida, da falta de estacionamento na rua Floriano Peixoto e questionou se a prioridade é só para os motoristas, já que faltam faixas para os pedestres. Mauro César disse também que o gasto foi alto e cobrou as planilhas com os valores. Uns dizem que o gasto foi de R$1,5 milhão e outros, de cerca de R$ 3 milhões, afirmou.
Limpeza terceirizada
O vereador Mazinho falou sobre os funcionários responsáveis pela limpeza no Terminal Rodoviário que estiveram presentes no plenário da Câmara Municipal. De acordo com o vereador, o trabalho foi terceirizado pela Prefeitura e os funcionários ficaram sem receber os seus salários, pois a empresa era de fundo de quintal, pegou o dinheiro do município e foi embora. ?Com isso, o prefeito foi para a rádio e ofereceu cestas básicas para esses trabalhadores. Isso foi um papelão e muito sujo. Os servidores precisam receber pelo trabalho. O juiz já mandou que a Prefeitura pague a esses trabalhadores?, disse.
Pedidos na Secretaria de Obras/b>
Mauro César solicitou que a Secretaria de Obras averigue a ponte na comunidade rural de Fazenda Velha que está cedendo. Os moradores reclamaram sobre os riscos no local. Outro pedido à secretaria é sobre informações a respeito do término das obras da praça Rubens Dalariva e do calçamentos em algumas ruas, como exemplo, a rua dos Universitários. De acordo com Mauro César, o secretário de Obras nunca responde aos pedidos dos vereadores.

Imprimir
Comentários