É evidente que a falta de fiscalização – por razões mais que conhecidas de todos nós ? somada a irresponsabilidade e ao descumprimento das normas mínimas de cidadania, são fatores preponderantes para que o município constate diariamente, a existência de ações deploráveis como a que flagramos nesta semana. Um depósito de lixo às margens da BR-354.
Se outrora levamos a pecha de ?pinico do mundo?, quando aqui se depositavam até mesmo no entorno das nascentes e principais mananciais, enormes quantidades de lixo trazidas, inclusive, de outros estados e países, facilitando e diminuindo custo de grandes empresas como (Fiat, Alcan, Borcol e de diversos fabricantes de pneus, dentre outras), agora, ao que se vê, é que, novamente, empresários que trabalham com peças do ramo automotivo, daqui ou de cidades próximas, resolveram desovar seu lixo que, por definição legal, deveria ser descartado em aterros especiais ou, no mínimo, atendendo as normas que instituem a logística reversa, ser devolvido aos seus fabricantes originais.
Embalagens de óleo, dezenas de para-brisas inservíveis, estopa contaminada com óleo, peças outras e uma grande quantidade de carcaça de animais, nos mostram que o conhecido ?frigomato? ali tem funcionando, nos deixando claro que a diversificação do uso daquele espaço, infelizmente, também ali já se verifica.
É certo que a Polícia Ambiental, ciente de seus deveres e eficiente no desempenho de suas funções, apesar de seu diminuto quadro de servidores, assim como os poucos fiscais municipais, por mais o queiram, não conseguem vigiar e coibir em todo o nosso território as ações danosas dos vândalos, ou melhor, criminosos.
Porém, em casos como este, pela enorme quantidade de produtos ali depositados, acreditamos que, se levada a cabo uma investigação mais criteriosa, quem sabe, até consiga com certa facilidade, se identificar os autores.
Também acreditamos que nos resta uma arma que, se disparada convenientemente, muito poderá fazer em favor da defesa ambiental.
Esta é a boa vontade e a consciência crítica de grande parte dos cidadãos que habitam neste município e que, se devidamente instruídos e motivados, poderão exercer facilmente este papel fiscalizatório, denunciando a quem de direito, tais crimes, tão logo estes venham a ser detectados.
Para isto, bom seria se o governo municipal criasse um ?disk-denúncia? que de fato funcionasse 24 horas por dia e por meio dele, se encaminhasse as denúncias recebidas aos órgãos competentes, facilitando a ação dos mesmos.
De resto, que as punições aos infratores fossem mais severas. Não faz muito tempo, detectadas ações criminosas deste tipo, uma vez descobertos os autores, eram rapidamente transformadas em inquéritos além de se exigir a limpeza imediata do local pelos infratores. (vestígios da autoria são facilmente detectáveis quando se esmiúça o lixo; cartões, pedaços de papel com endereços, contas, notas, pedidos, etc, são sempre encontrados).
A divulgação das descobertas havidas, assim como a punição exemplar dos autores, certamente ajuda, e muito, a inibir a adoção de condutas irregulares por parte dos que, de alguma forma, acumulam em seus comércios ou indústrias, lixo por eles considerado como indesejáveis ou onerosos quando de seu descarte.
Se a questão do recolhimento de pneus, de resíduos da indústria da facção e de outros descartáveis já está encaminhada, nos parece que, com a ajuda da população e uma divulgação educativa ? adequada e maciça ?, aliada ao disk-denúncia, podem se tornar em pouco tempo, em arma eficaz no combate a este tipo de crime.

print
Comentários