Questões relacionadas à dengue estão se tornando emergenciais no município diante dos resultados do Índice de Levantamento Rápido (LIRAa) que apontaram que Formiga corre o risco de viver mais uma epidemia da doença esse ano.
Ainda assim, em muitos pontos da cidade, lotes vagos continuam servindo como depósitos de lixo e consequentemente se transformam em criadouros do mosquito da dengue. Situação que se agrava com as chuvas dos últimos dias.
Essa semana, moradores das ruas Tenente Oscar Teixeira Lima no bairro Novo Horizonte e Marinho Lourenço e Rio Tapajós, no bairro Saudade, incomodados com essa situação, entraram em contato com o jornal.
A reclamação é a mesma. Em desacordo com a lei 4331/2010, nas vias há lotes vagos sujos e que não estão murados.
Nas ruas do bairro Saudade, os terrenos estão tomados pelo mato e pelo lixo, atraindo animais peçonhentos que já foram encontrados nas residências próximas.
Na rua do Novo Horizonte, o lote que é de grande extensão, se tornou um depósito de todo o tipo de material, que em dias de chuva é arrastado para o meio da rua que é bastante movimentada.
?Já fizemos uma dezena de reclamações em pelo menos duas secretarias, de Obras e de Gestão Ambiental, mas a informação é de que o lote pertence a um funcionário público e por isso nenhuma atitude é tomada em seu desfavor?, comentou um morador.
Em ambas as reclamações, os vizinhos dos terrenos apresentaram grande preocupação com o risco de proliferação do mosquito da dengue em recipientes jogados junto ao lixo.
A boa notícia para os moradores das ruas é que após o contato do jornal junto à administração para obter informações para a solução dos problemas, segundo nota.

print
Comentários