Falta de segurança coloca em risco usuários e funcionários do Terminal Rodoviário

Em menos de um mês, dois assaltos a estabelecimentos localizados na Rodoviária foram registrados pela PM.

Em menos de um mês, dois assaltos a estabelecimentos localizados na Rodoviária foram registrados pela PM.

A falta de segurança no Terminal Rodoviário Tancredo Neves, em Formiga, está colocando em risco a vida de usuários e de quem trabalha nos estabelecimentos instalados no local.
De acordo com relatos colhidos no Terminal, casos de roubo se tornaram frequentes após a Prefeitura dispensar, há cerca de um ano, o vigia que fazia a segurança do local. Os ladrões não se intimidam nem com o Posto Policial que, de acordo testemunhas, já foi invadido.
Em menos de um mês, dois assaltos a estabelecimentos localizados na Rodoviária foram registrados pela PM.
O crime mais recente aconteceu no domingo (10). De acordo com a funcionária da lanchonete alvo dos bandidos, Miris da Silva, indivíduos não identificados quebraram dois vidros do estabelecimento e furtaram várias mercadorias como refrigerantes, balas, cervejas, pacotes de batatas chips, além de dinheiro. A quantia roubada não foi informada pelo proprietário da lanchonete.
Ainda na tarde de terça, indivíduos tentaram roubar uma jovem que transitava pelo Terminal e há 20 dias, a Tabacaria que também funciona na Rodoviária foi roubada. Na ocasião, os indivíduos levaram cerca de R$400, contou Miris. ?Se até o Posto Policial foi invadido o que será de nós? Precisamos de segurança no Terminal Rodoviário para podermos trabalhar com tranquilidade, afinal é obrigação da administração nos proporcionar segurança?.
Proprietários de estabelecimentos comerciais e funcionários já estiveram na Prefeitura em busca de solução para o grave problema. ?Já fomos até a Prefeitura, mas os secretários que nos receberam não resolvem nada. Quando tinha um segurança na Rodoviária, a situação era bem mais tranquila. Agora a Prefeitura fala que a culpa é dos vereadores e os vereadores passam a bola para a Prefeitura e no fim não vemos solução?, completou a funcionária.
O Terminal Rodoviário possui câmeras de segurança que, de acordo com Miris, não estão funcionando, o que dificulta o reconhecimento dos ladrões.
O jornal entrou em contato com a assessoria de comunicação da Polícia Militar para saber sobre o funcionamento do ponto de apoio, instalado no Terminal Rodoviário. Em nota, a assessoria explicou que ?o ponto é a sede administrativa dos Pelotões da PM de Formiga, que tem como comandante o 1º tenente PM Marcos. É onde funciona a parte administrativa dos pelotões do município, bem como o registro de ocorrências e informações ao cidadão.
O horário de funcionamento do Ponto de Apoio é de segunda à sexta-feira, em horário comercial, pois o local é uma extensão da administração da 13ª Companhia Independente.
O fato de registrarmos ocorrências no Ponto de Apoio é uma forma de facilitar para o cidadão que em muitas vezes, tinha que sair dos pontos mais distantes da cidade e deslocar até a sede da unidade, no bairro Nossa Senhora Aparecida, para registrar ocorrências. Com a criação do Ponto de Apoio, o registro pode ser feito para o cidadão de maneira que ele vá apenas até o centro da cidade, que é de mais fácil acesso para todos.
Se a vítima não conseguiu registrar a ocorrência, no dia que ela precisou, pode ser por causa do dia e horário em que aconteceu o crime, pois o Ponto de Apoio funciona em horário comercial de segunda à sexta-feira?.
Apesar da nota da Polícia Militar, o jornal esteve no Ponto de Apoio, na tarde de quarta-feira (13) e o mesmo estava fechado. De acordo com informações de pessoas que trabalham no Terminal, na quarta-feira à tarde o posto não abre, assim como não há expediente na sede da Companhia. ?Isso é uma vergonha! Trabalhamos todos os dias com medo de assalto e esse posto da Polícia que deveria ao menos nos passar mais segurança não funciona e a noite, quando ocorre a maioria dos crimes, não tem policiamento na região do Terminal e para piorar, a Prefeitura tira daqui o segurança que por anos, se não evitou como um todo intimidou muito malandro?, disse um comerciante.
O jornal entrou em contato com a Prefeitura, para saber o que será feito referente à atual situação. A Secretaria de Comunicação enviou a seguinte nota: ?A Secretaria de Obras, em conjunto com a Procuradoria Municipal e com o Gabinete, está estudando medidas de segurança para o local, o que inclui solicitar o reforço da presença da Polícia Militar?.
Com isso, os usuários do local continuam correndo riscos, principalmente à noite, já que a falta de sistema de segurança e policiamento favorece a prática de crimes.

print
Comentários

Sobre o autor

André Ribeiro

Designer do portal Últimas Notícias, especializado em ricas experiências de interação para a web. Tecnófilo por natureza e apaixonado por design gráfico. É graduado em Bacharelado em Sistemas de Informação pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

Falta de segurança coloca em risco usuários e funcionários do Terminal Rodoviário

Em menos de um mês, dois assaltos a estabelecimentos localizados na Rodoviária foram registrados pela PM.

Em menos de um mês, dois assaltos a estabelecimentos localizados na Rodoviária foram registrados pela PM.

A falta de segurança no Terminal Rodoviário Tancredo Neves, em Formiga, está colocando em risco a vida de usuários e de quem trabalha nos estabelecimentos instalados no local.

De acordo com relatos colhidos no Terminal, casos de roubo se tornaram frequentes após a Prefeitura dispensar, há cerca de um ano, o vigia que fazia a segurança do local. Os ladrões não se intimidam nem com o Posto Policial que, de acordo testemunhas, já foi invadido.

Em menos de um mês, dois assaltos a estabelecimentos localizados na Rodoviária foram registrados pela PM.

O crime mais recente aconteceu no domingo (10). De acordo com a funcionária da lanchonete alvo dos bandidos, Miris da Silva, indivíduos não identificados quebraram dois vidros do estabelecimento e furtaram várias mercadorias como refrigerantes, balas, cervejas, pacotes de batatas chips, além de dinheiro. A quantia roubada não foi informada pelo proprietário da lanchonete.

Ainda na tarde de terça, indivíduos tentaram roubar uma jovem que transitava pelo Terminal e há 20 dias, a Tabacaria que também funciona na Rodoviária foi roubada. Na ocasião, os indivíduos levaram cerca de R$400, contou Miris. “Se até o Posto Policial foi invadido o que será de nós? Precisamos de segurança no Terminal Rodoviário para podermos trabalhar com tranquilidade, afinal é obrigação da administração nos proporcionar segurança”.

Proprietários de estabelecimentos comerciais e funcionários já estiveram na Prefeitura em busca de solução para o grave problema. “Já fomos até a Prefeitura, mas os secretários que nos receberam não resolvem nada. Quando tinha um segurança na Rodoviária, a situação era bem mais tranquila. Agora a Prefeitura fala que a culpa é dos vereadores e os vereadores passam a bola para a Prefeitura e no fim não vemos solução”, completou a funcionária.

O Terminal Rodoviário possui câmeras de segurança que, de acordo com Miris, não estão funcionando, o que dificulta o reconhecimento dos ladrões.

O jornal entrou em contato com a assessoria de comunicação da Polícia Militar para saber sobre o funcionamento do ponto de apoio, instalado no Terminal Rodoviário. Em nota, a assessoria explicou que “o ponto é a sede administrativa dos Pelotões da PM de Formiga, que tem como comandante o 1º tenente PM Marcos. É onde funciona a parte administrativa dos pelotões do município, bem como o registro de ocorrências e informações ao cidadão.

O horário de funcionamento do Ponto de Apoio é de segunda à sexta-feira, em horário comercial, pois o local é uma extensão da administração da 13ª Companhia Independente.

O fato de registrarmos ocorrências no Ponto de Apoio é uma forma de facilitar para o cidadão que em muitas vezes, tinha que sair dos pontos mais distantes da cidade e deslocar até a sede da unidade, no bairro Nossa Senhora Aparecida, para registrar ocorrências. Com a criação do Ponto de Apoio, o registro pode ser feito para o cidadão de maneira que ele vá apenas até o centro da cidade, que é de mais fácil acesso para todos.

Se a vítima não conseguiu registrar a ocorrência, no dia que ela precisou, pode ser por causa do dia e horário em que aconteceu o crime, pois o Ponto de Apoio funciona em horário comercial de segunda à sexta-feira”.

Apesar da nota da Polícia Militar, o jornal esteve no Ponto de Apoio, na tarde de quarta-feira (13) e o mesmo estava fechado. De acordo com informações de pessoas que trabalham no Terminal, na quarta-feira à tarde o posto não abre, assim como não há expediente na sede da Companhia. “Isso é uma vergonha! Trabalhamos todos os dias com medo de assalto e esse posto da Polícia que deveria ao menos nos passar mais segurança não funciona e a noite, quando ocorre a maioria dos crimes, não tem policiamento na região do Terminal e para piorar, a Prefeitura tira daqui o segurança que por anos, se não evitou como um todo intimidou muito malandro”, disse um comerciante.

O jornal entrou em contato com a Prefeitura, para saber o que será feito referente à atual situação. A Secretaria de Comunicação enviou a seguinte nota: “A Secretaria de Obras, em conjunto com a Procuradoria Municipal e com o Gabinete, está estudando medidas de segurança para o local, o que inclui solicitar o reforço da presença da Polícia Militar”.

Com isso, os usuários do local continuam correndo riscos, principalmente à noite, já que a falta de sistema de segurança e policiamento favorece a prática de crimes.

 

Redação do Jornal Nova Imprensa

Comentários

Sobre o autor

André Ribeiro

Designer do portal Últimas Notícias, especializado em ricas experiências de interação para a web. Tecnófilo por natureza e apaixonado por design gráfico. É graduado em Bacharelado em Sistemas de Informação pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

Últimas Notícias